Pular para o conteúdo principal

De 1957 a 2016 - ufaaa!!!

Começo a escrever sem fazer qualquer ideia do que irá surgir.
Hoje estou especialmente vazia, ah! Já sei ... está chegando o final do ano, estamos vivendo os últimos dias deste que foi um ano de muitas mudanças físicas, de mudanças internas profundas, de concretização de projetos inundados de dúvidas e falta de consistência, mas que habitavam meu mundo mental alimentado diariamente por condições torturantes de falta de sentido e motivação pela minha própria vida...
Passando, passado, passou...
E eis que a minha vida ganhou sentido, o meu corpo correspondeu a todas as minhas expectativas e investimentos de décadas de construção de mim mesma.
 Tudo simples demais, porque eu estava aqui, prontinha pra viver, ... mas andei passeando demais por outras pessoas, em modelos e exemplos que não me serviam,... não se pode corromper a natureza, ela sempre dá um jeito de se manifestar e sobressai heroicamente.
Gosto disso, porque a gente não nasce em um lugar favorável ao comodismo, precisamos dar conta de ser o que somos, ou de inventar alguma coisa pra sobreviver.
Esse adiamento que causa postergação na manifestação do que podemos e viemos de uma forma muito mística fazer por aqui pra acrescentar no mundo e o mundo.
Sim, porque o acaso não existe mesmo, ... não podemos acreditar que somos pensados de maneira errada, a gente vai é desrespeitando a nossa natureza, corrompendo nosso projeto de vida, nosso processo de crescimento com ilusões e sonhos de quem nos atropela e não nos estima.
Numa desculpa feia de que são aprendizados necessários, ... de jeito nenhum!!!
Eles são armadilhas perigosas e desvirtuadoras do nosso tempo e da nossa linda passagem.
E assim vamos perdendo tempo, jogando a nossa existência fora, ... quando conseguimos abrir os olhos para essas coisas todas que somamos e atribuimos como sendo nossa saga e nosso legado ...
Mas enfim, essa contagem que nos concede mais tempo e nos toma tempo de vida e de ter qualquer chance de fazer tudo que queremos com a consistência que exigimos de uma maturidade forjada pelo sofrimento que embota nosso crescimento e aprendizado, que nos minimaliza e reduz a qualquer invento monitorado por energias que nada têm de bom, justo e generoso!!!
Protesto mesmo hoje porque sei que se escrevemos uma vida leve, um tempo cheio de graça e encantamento podemos nos encontrar com muito mais rapidez em realizações que nos conduzem a alegria, felicidade e contentamento!!!
Enriquecemos o nosso passar desfilando muito mais bonita e corajosa e porque não dizer poderosa!!!
Porque acredito que estamos aqui para isso, somos mesmo e de verdade é feitos para sermos o que quisermos e o melhor é o que queremos ser sem medo de errar...

Fiquem bem, cuidem-se bem...
 Livia
Leão

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PARA VIVER UM GRANDE AMOR...

Estou aqui pra dizer a você que aqui estou... Estou aqui pra dar continuidade ao nosso crescimento juntos... que fazem intervalos pequenos diante da eternidade... É quando sorrio de verdade é quando me acomodo com segurança e me aconchego sem medo. Conheço um pouco dos seus limites, a profundidade das suas lindas qualidades, generosidade, parceria e delicadeza que admiro e preciso em um relacionamento. Assim como antes, em tempos que conseguimos separar, Onde se pode conjugar passado, presente e futuro Onde se pode prever que há o que "rolar" ... Sabemos de amizades, sabemos de conforto e de confiança. A vontade, ficamos sem nenhum desconforto que maculam os encontros e a nossa vontade é superior aos riscos que corremos sem nenhum temor (???) ... Tudo que poderia causar desconforto e separação será retirado e excluído elegantemente porque merecemos...
E tão grande amor que pode ser do outro
mas que é meu...
Não apenas meu, mas inventado por mim
nascido de mim,
em mim...
E q…

Sobre todas as coisas e nenhuma delas em especial!!! ...

Falando assim como quem tem uma certeza absoluta o mundo é muito rico em tudo que a gente pode imaginar. Podemos dele desfrutar como quisermos.  Se temos um mínimo de sabedoria, se conseguimos saber o mínimo de nós mesmos nos sairemos bem diante da vida que vamos escolhendo momento a momento. Tenho medos como qualquer criatura humana que habita o planeta, mas ao longo dos meus dias traduzidos em 59anos fui ganhando um certo jeito de pensa-la; de driblar as minhas fragilidades, de encontrar forças em mim mesma, de não apenas saber quem eu sou agora, mas também de quem quero ir me tornando enquanto passeio por aqui. Lido simplesmente muito mal com a morte, não a minha, mas a das pessoas... e isso se estende não apenas às que penso conhecer, mas a todas as pessoas que sei que morreram, que os seus corpos estão sendo enterrados ou cremados, que enquanto isso acontece no plano físico/material, outras muitas pessoas especulam, inferem,  sobre a vida após o fim ... o encerramento da vida co…

DO QUE PRECISAMOS???

Precisamos de música, ...  precisamos de água, de alegria, de combustíveis e recursos disponíveis, fáceis e práticos. De respeitar as necessidades básicas de viver, de caminhar em ressonância com o que queremos e acreditamos. De nos alinharmos com o que nos acrescenta... Deixar que as pessoas cuidem de si mesmas,  de solidarizarmo-nos com aquilo que podemos de alguma maneira colaborar. E em nossa vida pessoal e intima, ter à mão apenas o que nos favorece e beneficia... os excessos cansam, frustram, destroem qualquer possibilidade de alegria e felicidade. Porque nos exigem tempo demais, trabalho demais, pre-ocupações excessivas. Não nos preenchem, não nos deixam em paz... Tudo que nos desconforta é desnecessário. Precisamos de silêncio e cuidados... de atenção, delicadezas, gentilezas e carinhos... patrocinarmo-nos sentimentos e sensações que nos adormeçam com tranquilidade ainda que não saibamos se amanhã será mesmo outro dia... e será!!! Será um novo dia... traduzido em zilhões de o…