sexta-feira, 4 de novembro de 2011

DIÁRIO DE BORDO - Que fique bem claro!!!

Detesto tudo que me dá trabalho!!!
Adoro fazer coisas com prazer,
que me dão prazer.
Ocupar meu tempo produzindo...
 construindo.
A sensação mínima de perder tempo, 
de disperdicio  de energia com qualquer coisa que não me acrescente é péssimo. 
Tudo que me faz acordar e despertar eu amo.
O meu combustível favorito é o PRAZER.
Qualquer coisa feita por prazer fica bacana e vale o investimento:
escrever,
tomar banho,
escolher os alimentos
ler um rico livro,
ouvir música,
cantar,
escovar os dentes,
pensar,
respirar, 
dormir,
acordar...
orar!!!
Chorar,
sorrir,
silenciar...
cuidar de alguém,
de mim,
de quem precisar...
se for com e por prazer
é bom!!!
Preciso da atividade física em tarefas do dia-a-dia, que desempenho super bem.
Otimizo, crio uma ordem que favorece em tempo livre, disponível para mim.
Sou um ser contemplativo.
Gosto de não ter o que fazer em âmbitos da vida cotidiana que me dão a sensação péssima de chover no molhado... exemplo:
- des-arrumar para depois "arrumar" para ter o que fazer.
Sou uma mantenedora da ordem quando organizo algo.
O que subverto são pensamentos e reflexões.
Me des-obrigo com facilidade e não é por irresponsabilidade mas por perda de interesse.
Deixo barcos abandonados mar a fora e com isso todos os bônus...
mas o ônus? 
Esses eu banco e gosto, porque funciono bem assim.
Fico muito cruel quando me sinto infeliz,
quando me percebo infeliz...
quando me surpreendo infeliz!!!
Odeio a preguiça existencial traduzida em conforto da des-ordem que não é minha.
E o discurso de que precisamos aceitar as pessoas como elas são?
Esse eu não banco, não!!!
O complicado é compartilhar (como sempre!).
A rotina que cada pessoa escolhe para si precisa ser assumida...
Prazerosamente, claro!!!
Por cada um...
descobrindo onde mora a sua felicidade,
alegria,
e  maneira de pensar e viver
a vida.
Há quem pense que não merece uma vida prazerosa
que pode sobre-viver a um "cem" número de dias sobrecarregado de tarefas sem importância feitas no piloto automático e sem nenhum prazer...
sem chance de acoplamento comigo!!!
Rodar feito cão correndo atrás do próprio rabo?
TÔ FORA...
Minha objetividade e compromisso com o prazer não permitem!!!
Sou forte e capaz de carregar o mundo nas costas, 
se eu escolher,
se eu me disponibilizar,
se for o meu prazer!!!
Que fique bem claro...
Pra quem considera que viver é "aturar" "tolerar"
meus mais profundos pêsames...
Porque eu sou
livre, leve e solta...

Fiquem bem e cuidem-se bem!!!

 Livia Leão







quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Diário de Bordo - Da maior importância!!!



Corpo biológico é uma prisão. 
Prisão sensorial e cinestésica.
O vôo de que somos capaz em pensamentos e alcances é que é o grande prazer da Vida.
É o que nos preenche e nos movimenta.
A vontade nascida do sentimento genuíno de criar, de viabilizar e otimizar o tempo/espaço onde consideramos estar é que dá sentido à VIDA.
Existir em um determinado ponto do Universo, identificada em um corpo biológico é momentâneo, transitório e circunstancial.
Não penso a Vida sem angustia; não em perdas e ganhos...
mas em Unissono.
Sinto assim, como uma profusão; 
De vez em sempre confusão em ruídos e dizeres.
Todas verdades!!!
Tantas verdades... 
Muitas verdades nascidas da necessidade de se justificar a infinitude de tudo que há.
Minhas conexões física, energética, emocional, intelectual e espiritual são a minha garantia profunda de saúde e entendimento em um mundo que percorre o Universo micro e macro cósmico.
O meu ser eterno descança.
O meu corpo biológico se des-integra sempre e o tempo todo...
Enquanto meu pensamento o mantém em uma vaidade sustentada por células, sistemas vivos, ativos, modificados e modificadores disfarçados em mesmices.
Tomar ciência, ficar ciente, ter conhecimento disso me custa uma necessidade visceral de silêncio, solidão e isolamento.
Ausência de melatonina;
dias de sol, noites de lua...
acordada com a Vida em um despertar assustador; 
De vez em quando recheado de des-confiança e suspeita de insanidade.
Não sei mais me comportar como uma entidade física e todos os acordos que faço diáriamente com as dimensões que vivo e alcanço são de enorme segurança e credibilidade.
Perdi o medo da minha esquizofrenia e resolvi passear pelo mundo com carinha de paisagem.
Viver sem um deus que nos acuda é para os loucos.
Para os que não têm medo do abismo, da solidão na dimensão do inconsciente coletivo e do atávico compromisso de repetir existências em corpos diferentes, memória igual e uma alma (ânima) que insiste em caminhar.
Tinha de nascer assim, só para contrariar!!!
Ainda bem que posso manifestar...
Fiquem bem,
Cuidem-se bem!!!

Livia Leão





quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Diário de Bordo - Iniciando um relacionamento



Compreender profundamente o caminho ou os caminhos que escolhemos trilhar para chegar onde nos encontramos no presente, neste momento dá uma sensação bacana!
Fazer passseios de experimento e aprendizado é por demais doloroso e interessante ao mesmo tempo. Terapêutica e terapeutamente falando posso sentir em mim o efeito deste diálogo interior. Primeiro o julgamento diante de uma memória incomoda e cheia de detalhes. Um pensar inquietante, logo em seguida a compreensão anistiadora que oferece um colo aconhegante, quentinho, cheio de um potente sentimento de amor incondicional que nasce de um lugar desconhecido e ao mesmo tempo merecido.
Descobrir a mim mesma tem sido uma viagem linda. Encontro delicadezas fabulosas, qualidades maravilhosas que precisam ser trabalhadas e reconhecidas com muito carinho e zelo. 
Bom demais... 
fiquem bem e cuidem-se bem!!!

 Livia Leão




sexta-feira, 2 de setembro de 2011

DIÁRIO DE BORDO - Nem pensem que sou eu!!!






Preciso matar 
a preguiça existencial e usar a minha inteligência simples confiando no meu cérebro para des-considerar a embriaguez do planeta que deixa todos de porre e em posição des-vantajosa; 
O narcotismo que se apoderou do cérebro de todas as faixas etárias transformando as ruas em ambulatórios psiquiátricos.

Salve as angustias do humano, nos salve das inquietações do que se recusam a usar seus cérebros para pensar e alcançar lugares de possibilidades aconchegantes...
Fechar os olhos e as portas, trancar todas as gavetas, esvaziar qualquer espaço de informações carregadas de ilusões incompatíveis.
Não adianta querer ser tranquila...
Quem escreve não é um ser tranquilo...
Quem pensa não consegue encontrar tranquilidade no que acontece em seu interior e muito menos nas paisagens pelas quais passeia.
Porque conseguimos ouvir todas as vozes e ruídos produzidos pelos cérebros transeúntes. O movimento das pessoas, as pisadas, pegadas...
o inconformismo com a realidade fabricada no piloto automático.
O mundo que parece desforme, e des-conforme... a nossa intolerância e incompatibilidade... a falta de escolha e a falta de fé...
rezas, muitas rezas...
e nenhuma fé se tem!!!
Há dias em que se acredita que pode mudar interiormente os padrões massacrantes energéticos e alguns outros se tem um des-ânimo quando se conclui que é preciso um trabalho incansável, supra-humano para dar conta das transformações e transmutações necessárias para aquecermos nossos corações e ordenarmos nossos cérebros em direções intimas e pessoais. 
Em necessidades viscerais de vencer todos os monstros e sombras interiores que permeiam nosso universo interior e paralelo.
Não alimentar nossos mais imperfeitos inimigos particulares, trucidar nosso sabotador interno é diário!!!
Eles parecem imortais... e não são...
São frutos das nossas substâncias improduzidas e não produtivas daquilo que com uma péssima estima pensamos querer.
É preciso saber o que está acontecendo dentro de nós, quem está reinando em nosso interior e dar vida e colocar no mundo para que saia de nós e morra logo alí atropelado pelo primeiro pé inexorável... nada de vida longa e de ocupação no quentinho do nosso espaço interno, no nosso sagrado cérebro de infinitas possibilidades...
Nem pensem que sou eu o que sou!!!
Faço acordos com o que acontece ao meu redor...
e des-acordo para sobreviver a mim mesma.
Escrevo para aliviar a minha dor
e morro sempre porque preciso viver.
Fiquem bem,
cuidem-se bem!!!

Livia Leão


terça-feira, 2 de agosto de 2011

DIÁRIO DE BORDO - Do ano que vai começar!!!



Já a algum tempo que adotei que o meu calendário se inicia no dia do meu aniversário. 
Coisas!
Pra ser diferente?
Não! 
Pra fazer a diferença...
Em tempos difíceis que tenho vivido e grandes desafios a sobre-vivência é garantida por adotar extratégias adaptáveis.
Isso é criatividade...
causada pelos desesperos e uma vontade latente de me salvar de mim mesma.
Tempo de solidão
de isolamento
de cansaço
e de des-crença em algumas coisas que insistia em dar comidinha pelo medo de assumir que embora gordinhas estão estragadas!!!
Uiiiiiiii!!!
Colocar as coisas no lugar é um exercício que pouco se sabe fazer.
Saber a hora de seguir em frente como a gente tem certeza que seria o melhor sem olhar para a carinha do outro que ainda que não tenha feito nada e até  por não fazer nada, se considera essencial no nosso dia-a-dia. 
Ledo engano!!!
Prazo de validade vencido é a treva... 
Todos os produtos mantidos na nossa dispensa, armasenados apenas para ocupar espaço ou porque não estamos com "tempo" para fazer a seleção do que serve e o que não serve faz da nossa existência um acumulado de pó... energias impossibilitadoras que exaure a gente sem que nos demos conta.
E é um discuido terrível...
porque nos indica pouco importantes e atentos a nós mesmos.
Tenho vivido fazendo como dizem na medicina chinesa e no nordeste "fazendo das tripas coração..."
mas decidi que tudo vai mudar
e vai e já mudou!!!
Já vem mudando... e aí cabe o gerundio!!!
Propostas internas de encaminhar de maneira diferente todas as modificações e mudanças que quero fazer em mim, dentro de mim, para mim da forma mais egoísta e despudorada.
Merecidamente amar e ser amada!!!
Merecidamente cuidar das coisas que vão me trazer muito e muito e muito mais prazer.
Que é na verdade o meu combustível favorito...
Não sei quanto tempo eu tenho do tempo que ainda me resta?!
Meio século e meia década...?
Gente é coisa para caramba!!!
Uma existência...
E assim encerro mais um ciclo de trezentos e sessenta e cinco dias...
e começo outro...
quem sabe de mais ...
D E M A I S !!!
É o que quero
e o que vou fazer
acontecer!!!

Fiquem bem
cuidem-se bem!!!

Livia Leão

Gosto de mim e de ser quem sou, como sou e o que mais se espera da gente?

Livia Leão




sexta-feira, 22 de julho de 2011

DIÁRIO DE BORDO - Sobre todas as coisas?

Considero que o grande sofrimento de nós Homens é a decepção que sofremos quando conquistamos aquilo que pensávamos que fossemos sentir a nível de "ação prolongada".
Tudo acontece muito rápido!!!
O prazer é sempre muito rápido e aí vem o desejo de mais e do de novo, de novo, de novo...
É assim no sexo...
É assim na conquista de um bem material que muitas vêzes se torna um mal material...
É assim, no interesse em construir um relacionamento com alguém...
É assim quando compramos qualquer coisa por simples consumismo e não necessidade...
As nossas carências produzem urgências perigosas que nunca são oriundas de necessidades, mas de vazio interior.
E aí, nossa casa fica lotada de "coisas" sem utilidade, que dão trabalho, que exige uma demanda exaustiva de tempo pra limpar a poeira que tudo isso acumula...
O computador, o mundo virtual vem de certa maneira minimizar o sofrimento do espaço físico dos acumuladores.
Nele tem tudo. 
Nele contém tudo.
Tem a música, a literatura, as infinitas possibilidades...
Também a proteção, o distanciamento; a mentira verdadeira do que gostaríamos de ser....
A imaginação e a criatividade.
Podemos nos identificar expondo nossa verdadeira figura, mas também podemos usar outras imagens que nos identificarão.
Podemos ser usadas e podemos usar...
Criar uma relação de dependência e andar abraçada com ele pelo mundo...
ou ficar em casa visitando o mundo inteiro.
Conhecer mentes brilhantes, adquirir conhecimento, buscar informações, mergulhar em histórias e estórias com credibilidade ou inventada para virar verdade.
A nossa capacidade de interesse regada a prazer é infinita e é dela que alimentamos nossos dias... dia-a-dia.
E o prazer saciado gera outro, que precisa de outro e de outro... para preencher...
o que parece não ser possível.
Percebo um enorme cansaço nas pessoas acumuladoras, um eterno "ocupar" com tanto para limpar e nenhuma ligação consciente com o que armazenam...
E aí, o prazer não rola...
E o tempo cronológico não dá conta com apenas vinte e qutro horas diárias...
E o medo de não estar inserido no contexto?
É angustiante e nem sequer prestamos atenção no nosso discurso lamurioso de exaustão!!!
PRAZER ALGUM ACONTECE, claro!!!
Sem nos darmos conta entramos numa ciranda perigosa que serve de armadilha para nos perdermos em meio a tanta coisa que abraçamos sem necessidade...
Administrar as nossas possessões exige um esquecer de nós mesmos enlouquecedor... ainda mais quando des-consideramos que tudo que acolhemos porque escolhemos é parte de nós... bonito, feio, fácil, difícil... e cuidar de todas as nossas escolhas... menino!!!
É pra base de uma loucura...

Fiquem bem e cuidem-se bem!!!

Livia Leão



quarta-feira, 20 de julho de 2011

DIÁRIO DE BORDO - Apenas para pensar...

QUANDO USAMOS A PALAVRA NOS OCUPAMOS COM O TEMPO; QUANDO SILENCIAMOS ESTAMOS VIVENDO A ETERNIDADE. 
Fiquem bem
cuidem-se bem!!!

Livia Leão


 

terça-feira, 12 de julho de 2011

LABORATÓRIOS, QUE SÃO QUIMICOS/FISICO!!!


De maneira corajosa ouso falar de um assunto que acordei com ele elojado em meu cérebro. 
Uma energia de pensamento que foi me levando a reflexões nascidas de abordagens feitas em programas e também em editais informativos sobre um hormônio que nos faz sentir empatia, ganhar confiança, ser generosos, etc, etc, etc...





O cientista Paulo Zac realizou uma pesquisa que mostrou que apesar dos seres humanos serem inerentemente altruístas, eles também são generosos quando sentem empatia. E a ocitocina (oxitocina) é a substância ou hormônio responsável por esse sentimento, sensação...
A ocitocina é produzida pelo hipotálamo e harmazenado na hipófise e tem entre outras funções a de promover as contrações musculares uterinas durante o parto e a ejeção do leite durante a amamentação. Uma permissão de conceber e gerar uma vida em condição de AMOR INCONDICIONAL...
Ele ajuda as pessoas a ficarem juntas por muito tempo. Também é o hormônio ligado ao que as pessoas sentem ao por exemplo, abraçar seu parceiro de longa data.


A ativação do córtex insular e angular e do núcleo paraventricular foi observada como precursora da produção de ocitocina no hipotálamo e sua consequente liberação pela hipófise posterior.
Vários especialistas o denominam hormônio do AMOR. Assim como a prolactina, a concentração de ocitocina aumenta em 40% depois dos orgasmos.
Para mim ficou muito clara a função e a importância desse hormônio no comportamento das pessoas em geral ou melhor, em nosso comportamento diário, nas nossas atitudes e escolhas de viver em sociedade... e nos relacionamentos, traduzidos em saúde, óbvio!!!
Pode estar aí a cura de muitas "doenças", de patologias somáticas e nascidas de uma vida afetiva cheia de equívocos, de não sabermos onde colocar os nossos sentimentos e como compartilhá-los.
Não sabemos dar e receber amor. Dizemos que queremos vivê-los, mas sabemos que não sabemos o que fazer com ele.
Morremos de medo de morrer e de amar, por medo de perder, de deixar de possuir... de ficarmos sós em nossos sentimentos e com eles.
Quando somos acolhidos ficamos cheios de dedos, quando somos simplesmente queridos e amados nos reservamos a des-confiança (vejam bem?)... 
É sabido que o câncer é a doença da falta de amor, aliás o único órgão que ela não acomete é o coração... (mais uma vez, reflexão!)... o coração é o órgão do amor, também do ódio. Que são simplesmente dois lados de uma coisa só...
Se a acitocina é considerada ou denominada como o hormônio do AMOR não estaria nela a cura ou uma recuperação em ânima (da alma!)?
Precisamos viver nosso laboratório com mais conhecimento de nós mesmo e honestidade em relação aos nossos prazeres primordiais.
A ocitocina assim como a prolactina aumenta em 40% depois do orgasmo... gente!!! É muito claro, tomar ciência disso me deu uma alegria enorme, me fez ficar feliz e otimista em relação a tantas pessoas que vivem tomadas de câncer... ao mesmo tempo consciência do quanto estamos precisando amar, fazer sexo, entrar em contato com as nossas necessidades básicas de prazer, de sentir dor, mas também de sentir prazer, muito prazer sem a maldita culpa!!! Nos livrarmos da hipocrisia e nos sabermos merecedores de toda alegria, felicidade.... e P R A Z E R !!!
Câncer de fígado (raiva), de pumão (tristeza), de rim (medo)...
Equilibrar esses sentimentos/sensações é estar com o nosso laboratório físico/químico em dia. Então se essa substância pode ser fabricada sintéticamente, se podemos buscá-la como alternativa enquanto nos resta vontade de estar viva e bem viva... precisamos urgente de farta distribuição de OCITOCINA ou OXITOCINA!!!
Na verdade o câncer é a hipocrisia. A culpa inexorável que carregamos atávicamente, por medo (rins) de sermos genuinamente e merecidamente FELIZES!!!
Simples assim, 
Fiquem bem e
Cuidem-se bem!!!

Livia Leão




domingo, 10 de julho de 2011

DIÁRIO DE BORDO - Reflexões domingueiras...



QUANTO MAIS TEMPO CRONOLÓGICO FICAMOS EM UM MESMO LUGAR, FAZENDO AS MESMAS COISAS, TRANSITANDO COM AS MESMAS PESSOAS, MAIS DIFÍCIL É VIVER A TRANSITORIEDADE, A IMPERMANÊNCIA! POIS O COSTUME, O COTIDIANO NOS ACOMODA E NOS ILUDE.



OS AMIGOS PRECISAM DE CRÉDITO, OS INIMIGOS SÃO GRATUITOS...
E VAMOS EM FRENTE, PORQUE ATRÁS SEMPRE VEM GENTE!!!!

Fiquem bem
cuidem-se!!!

Livia Leão


quarta-feira, 29 de junho de 2011

DIÁRIO DE BORDO - Amantes !!! Precisam criar energia de encantamento




Viver um relacionamento "clandestino" aos olhos dos outros é exitante e começa em um âmbito conhecido dos que precisam desse mecânismo interessante que funciona bem... 
considero que em todos, mas poucos são os que assumem.
Os amantes são de utilidade pública... as pessoas que precisam casar-se, morar junto... passam pelo desgaste inexorável de todos os dias, do sentimento banalisado, do cansaço das crises e dificuldades em todos os âmbitos, precisam também de um refúgio...
A excitação!!!...
Pensar no momento em que se pode encontrar, no tempo em que se pode ficar junto, desfrutar da companhia e de toda magia de um sentimento que transcende qualquer conceito e teoria possível...
é bom demais!!!
As relações legalisadas por certidões e permissões podem e devem ter seus encantos principalmente a nível material e financeiro... a permissão de gerar filhos certificados, legais .... com um retrato de familia padronalizado ou padronizado, deve e precisa ter seu sentido, suas vantagens, sua mística.
O que considero na minha fisiologia é quando penso na mesmice, no massacre dos problemas, dos "tem que", do sexo no piloto automático.
AMANTE pra mim é quem ama e os códigos que vão ser usados pelas duas pessoas só dizem respeito a elas duas.
A monogamia é algo que passeia pela economia, por acomodamentos sociais, por práticas que são obsoletas, mas que ainda estão sendo usadas por medo e atavismo.
Os casais vivem seus "casos" fora do relacionamento "legal", mas fazem carinha de paisagem... quando um dos dois descobre a infidelidade do outro, precisam e se sentem na obrigação de criar animosidade, bem como fazer de conta que não sabia e que está se sentindo traída(o).
Há sem dúvida uma hipocrisia que paira em todos os seguimentos das relações, porque movimentar de maneira transformadora, inovadora, mantenedora é complicado, dá trabalho... inclusive exige de alguma forma que se tome decisões!!!
Cuidar da saúde dos relacionamentos, descobrir a melhor forma de viver algo saudável com alguém sem certificar-se... apenas sendo, apenas sentindo, apenas passeando na vida outro com uma certa elegância e distanciamento aproximado de quem está verdadeiramente interessado.
O trânsito permitido pelo outro, as "concessões", principalmente as que o homem faz... sim, ele parece dar os comandos. Ele consegue encaixar você na vida atribulada, em meio a tantos afazeres e compromissos como uma ida a um parque de diversões... depois... voltar pra casa, livre, leve e solto!!!
Claro... "satisfeito", com um departamento da vida em dia, com energia suficiente para ouvir choro de filho, reclamações de espôsa, obrigação de ir ao super-mercado, feira, aniversário de amigos dos seus filhos... também jogar seu futebol!!! 
Contar para os amigos que está saindo com alguém... aquelas coisas que sabemos que para os homens são mais importantes que tudo!!!
Gostar de você assim e da outra assada... lidar com as mais diferentes situações com maestria, sem sequer fazer confusão de nomes?
Muito interessante!!!
Requer uma sabedoria... ô se requer!!!?
Além de uma memória em dia dependendo da idade que favorece o encontro... ahahahahah!!!
O departamento das obrigações e do lazer não se misturam e não podem ser confundidos...
E a manutenção de tudo isso requer o dia de 265horas.
Mas como os homens não precisam fazer tudo "direitinho" e a eles são dadas as melhores condições... dá conta principalmente se as mulheres ainda que sem se falar ou saber, derem conta de cumprir os códigos de cada uma.
Sabe aquele ditado que diz "cada macaco no seu galho?" Pois é...
Sociológicamente, biológicamente, antropológicamente o que estou falando tem uma função importantissima para o equilíbrio e harmonia do mundo e da humanidade...
Mas quando se fala da psique onde inclue uma vaidade e exercicio da possessividade, aí o negócio fica diferente... parte-se para uma "ignorância".
Bem, os homens são em minoria porque morrem mais cedo, o número de mulheres sozinha, carente, hormonalmente ativa é enorme e aí... fica difícil uma exclusividade.
Vista grossa e empenho na manutenção das relações seja qual for o nome que se dê a ela é fundamental.
Ia esquecendo...!
Tem ainda o risco de que na lista das concorrências pitem alguns do mesmo sexo... aí minha filha, "a porca torce o rabo"...
Só nos resta contar com a sorte, entrar numa "labuta" sem fim, cansativa de desfilar com alguém que se diz relacionando com você, comigo ou qualquer uma de nós...
Fiquem bem
Cuidem-se bem!!!


Livia Leão




sábado, 11 de junho de 2011

DIÁRIO DE BORDO - Escape - do real para o ideal.



Não tenho nenhum medo
de assumir e encarar minhas
dificuldades 
enormes de viver, de lidar com coisas que fazem parte de um comportamento geral... principalmente essas, são difíceis para caramba. Lidar com a minha imaginação sempre  foi fácil e confortável... embarcar na canoa dos outros é que é difícil. Acho que é um mecanismo perigoso, arriscado... a canoa do outro é sempre furada do lado em que escolhemos estar.
Fazemos uma confusão enorme, as vêzes por não compreender as dimensões de existir...
As possibilidades que se tem de estar em espaços e cenários que mudam quase sempre; por não confiar em nossos potenciais, por medo da loucura diagnosticada pelos que nos cercam, sem nenhum respaldo e auto-crítica. Enfim, são muitas coisas que podem levar o Homem, qualquer um de nós, a ficar solto no mundo, perdido no espaço, achando que está vivendo... que viver é isso ou aquilo ou ainda aquilo outro.
Viver é tudo o que a gente quer ou quiser. Precisamos mergulhar sem medo em nós mesmos, reconhecer até onde podemos ir, se queremos ir, quem queremos levar e com quem podemos compartilhar.
Penso no Gloogle, em seus infinitos recursos, no arsenal imenso de informação, em acessos que jamais poderíamos a bem pouco tempo atrás pensar que seria possível.
Penso no desejo que todas as pessoas têm de ser feliz... ser feliz do seu jeito mesmo, autenticamente, verdadeiramente... e posso perceber quando estou conectada no facebook, como temos dentro de nós vontade de compartilhar, de estar inserida em algum grupo, fazendo parte de algum momento e de coisas que estão acontecendo, sem precisar sair do lugar.
Da preguiça de nos relacionar com quem está do nosso lado, ou melhor, da confirmação de que quem está perto deixa de ser interessante, ficamos querendo bicar de outras pessoas... de preferência que podem acrescentar, que vão ler o que a gente escreve, ouvir a música que estamos pensando, compartilhar ditos, palavras, pinturas, acontecimentos... dando sempre uma opinão bacana.
Acho que dentro de casa vivemos a solidão acompanhada mais sem graça que existe porque testemunham tudo com uma frieza e distanciamento velado incomodante. Para nada, simplesmente para nada.
O ideal seria se conseguissemos nos olhar e nos ver. Se conseguissemos alcançar o outro que está perto mesmo, fisicamente falando. Com o olhar voltado para as necessidades e deficiências ajustadas ao seu momento e movimento interno... nós humanos vivemos nossas angustias dimensionadas acima do normal necessário porque não confiamos e des-confiamos que os outros não passam pelo que passamos, que somos demasiadamente incapazes de lidar, que o outro é melhor e mais eficiente... que as nossas viagens interiores são banais... e isso não é real. Somos iguais demais e peculiares demais também... e todas essas possibilidades nos tornam impossíveis porque não aprendemos a ser escolhedores inteligentes e confiantes.
Estamos quase sempre indagando, pedindo licença para sermos como somos, procurando adesão, buscando adebitos e aliados que nos aceite, que nos acolha, que concorde conosco e nos faça feliz. 
I L U S Ã O !!!
Porque o nosso universo é infinitamente pessoal, particular. O nosso olhar e necessidade alcança tudo que queremos, mas nós não confiamos nisso um pentelhézimo!!! E quando sentimos a alegria de insights elucidadores de nós mesmos tem a duração também de um pentelhézimo... e aí minha filha é uma senhora frustração. 
A falta de consistência é algo que faz da gente um amontoado de caracteres roubados dos outros, das máquinas, do espaço, do tempo, dos lixos... entulhados energéticamente por onde passamos em todas as dimensões de existir.
Como um imã, vamos catando as sobras e arrogantemente pensamos que estamos sendo originais, autênticos... nós mesmos.
Vivemos dos cérebros uns dos outros... você pensa eu abraço a idéia... você alcança para mim tudo que eu poderia ter alcançado... porque quero um mundo pronto embrulhado num papel de presente. Ou então arrumado para eu apenas pegar na prateleira, entrar na fila e pagar se tiver dinheiro.
Vivemos em mundo onde todas as facilidades ainda são poucas e impossibilitadoras.
Temos máquinas para fazer quase tudo e somos enrolados... o nosso tempo é para ficar em trânsito ou no trânsito. Para olhar o mundo virtualmente, contemplando o que acontece a uma distância esvasiadora, descomprometedora.
Corremos, corremos e corremos como maratonistas sem troféu. Tomamos conhecimento de tantas coisas e nada sabemos e podemos administrar e processar... criterizar então, nem pensar!!!
Não dá tempo... não sobra tempo... não há tempo!!!
Reconhecer o que é real, ideal?
Só nos resta escapar... e o nosso cérebro que dê conta do que nos interessar.  
Fiquem bem
cuidem-se bem!!!

Livia Leão


DIÁRIO DE BORDO - Dia dos namorados... de namorados... enamorados?

Meu namorado...
é 
 a pessoa mais delicada,
atenta,
cuidadosa...
  Passeia pela vida com o peito cheio de amor;
E mãos de carinho.
Tem toda minha confiança por ter palavra e sentido...
 minha admiração por ter atitudes compatíveis.
Meu namorado
tem a lingua macia...
de pronunciar palavras gentis,
com significado e força
construidora...
beija bem
e percorre todo o céu da minha boca com sentimentalidades,
desejos de propostas
decorosas de felicidade.
Meu namorado cuida de si
com delicadeza e interesse.
Sabe por isso
a importância do encontro
entre pessoas maduras
e independentes
que podem estar na vida um do outro
sem com isso esperar o sobre-natural
dos sentimentos que inventamos e insistimos em nutrir.
É livre...
e vem sempre que tem vontade e saudade.
Meu namorado
sabe fazer comidinha gostosa!!!
Sabe dosar os temperos e usar as ervas condimentais sem errar a mão...
É um alquimista.
Não erra no sal,
gosta de sentir o sol...
namorar a lua.
Caminha nas nuvens sem medo de cair!!!
Gosta de mulher...
e da mulher que posso ser
quando sobra tempo.
Meu namorado!!!
Já encontrei partes dele em alguns momentos.
Identificados em nomes e corpos diferentes que preencheram meu tempo e meu momento.
Ele está vindo por aí...
sem data para chegar porque não tem pressa
e eu as vêzes penso que também não.
Deve estar se encontrando em outras pessoas... apreendendo,
acumulando informações...
e SABEDORIA.
Crescendo,
amadurecendo...
deixando a TERRA DO NUNCA...
em vôo rasante
para chegar até aqui...
onde estou.
Posso sentir seu cheiro...
e desenhar seu rosto.
Pode ser que chegue logo,
pode ser que encontre no caminho
novos interesses e formas de se encontrar
em relacionamentos passíveis de concretizar.
Mas também pode ser
que venha direto...
quem sabe?
É só esperar e
acreditar...!!!

Livia Leão







quinta-feira, 31 de março de 2011

DIÁRIO DE BORDO - Saudadesdeescrever.com




Ando assim, meio que perdida em muitas tarefas e eu não sou uma pessoa que dá conta de muitas coisas sem ficar atordoada!!! Acabo não fazendo tudo que quero e o meu prazer é o que mais prezo. Sim!!! Eu sou movida a prazer e neste momento estou precisando me distanciar de algumas coisas por razões práticas... Mas logo, logo, vou retomar o meu rítmo, as minhas atividades por aqui em nome do meu prazer... tenho caminhado e nas minhas caminhadas tenho tido muita inspiração... e  é de tudo isso que tenho me alimentado. Estou muito feliz, com saúde e em paz... isso já é quase tudo!!!

Caminhos, escolhas, pensamentos, discernimentos, passeios silenciosos pelo mundo visível e invisível, cheio de possibilidades!!!

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

DIÁRIO DE BORDO - Fama e proveito!!! O contrário também pode ser...



Fiquei alguns dias sem escrever no meu querido blog, porque estava fazendo outras coisas, inclusive sentindo muita dor, claro!!!
Muitos assuntos desagradáveis, coisas complicadas acontecendo no Brasil e no mundo... graves mesmo.
Catástrofes, mortes cármicas de grandes grupos de pessoas em situações que me deixaram de certa forma em silêncio.
Mas andei tomando conhecimento de algo que me fez querer falar. 
Falar apenas para que façamos uma reflexão ou muitas delas por ser algo que tem bastante pano para mangas... sobre um artista brasileiro conhecido internacionalmente que está passando por um momento difícil de "despejo".
Bem, antes de ser "artista, famoso, celebridade, etc..." ele com certeza é um cidadão e tudo indica que como cidadão não cumpre com suas obrigações "d".
Como cidadão, pode sim perfeitamente passar por necessidades financeiras, crises que todo mundo com certeza passou, passa ou vai passar.
Principalmente quando não sabemos administrar nossas finanças, quando nos comportamos como perdulários e consideramos que o dinheiro não é uma ilusão.
Sendo ele um artista famoso faz-me pensar que tenha ganho bastante dinheiro durante sua longa carreira... sim porque eu estava criança e ele já cantava por aí!!!
A importância dele como artista, músico... "monstro"... não anistia suas dívidas... não o concede privilégios e muito menos o torna "simpático", sociável, agradável... essas coisinhas que facilitam a vida de todos nós.
Abrem-se portas, negociações, conceções até.
Mas em contra-partida quando se é antipático, des-respeitoso... o público, a vida... a natureza faz valer sempre a sua lei máxima e justa de causa e efeito.
Se a pessoa como celebridade não tem humildade de assumir suas "doenças", suas síndromes e vai se tratar uma bela hora a casa cai... é assim com todo mundo, com todos nós... e o fato de ser uma pessoa pública o torna muito mais vulnerável, o deixa muito mais exposto.
Não se pode dizer do outro lado... existe alguém que não nos diz respeito que é dono, proprietário... não importa se homem ou mulhere que tem o direito de fazer valer os seus direitos. 
Antes de tudo trata-se de um problema entre locatário e locador... o fanatísmo torna qualquer ser inteligente oligofrênico e é triste.
Quem do meio artístico se considera amigo, parceiro, enfim, essas coisas que dão acesso e que permite que se ajude de maneira discreta e rápida deveria ter feito isso, antes dessa coisa desagradável invadir os espaços que ficam enlouquecidos pela "fofoca", querendo ver o circo pegar fogo... vender jornal e revista com a des-graça alheia.
Um tremendo mal gosto mesmo.
Para falar mal da pessoa que está do outro lado?
Para considerar um e des-considerar o outro?
Bobeira da grossa...
Fico com vergonha porque diante de tantas coisas sérias, urgentes, realmente lamentáveis esse caso fica sem importância não para ele, mas para o Mundo.
Se a pessoa está precisando de ajuda e nenhum amigo também celebridade, artista famoso se candidatou em socorre-lo... existem planos no Governo Federal de auxílio moradia, bolsa familia, enfim... essas coisas que quem não tem dinheiro lança mão e todo mundo acha que é do balacobaco!!! Pensem bem?
Não é vergonha... precisar dos outros  é condição de todos nós humanos.
Crises são excelentes oportunidades para crescer, amadurecer, acordar!!!
Como diz o Chico... Buarque claro! "A DOR DA GENTE NÃO SAI NO JORNAL".
Se não vamos pagar a dívida por que vamos comprar a briga? Não é mesmo?

Solidaridade não é isso... esse comportamento infantil pega muito mal para pessoas que se consideram inteligente, que são formadores de opinião.
Embora se saiba que somos todos humanos, demasiadamente humanos. T O D O S...

Cuidem-se bem, fiquem bem!

Livia Leão


ORAR, ORAÇÃO, ORAÇÕES!!! ...

Todas as formas de oração são perfeitos apelos em nos alinharmos com o que queremos, com o que se sente, com o que buscamos dentro de nós...