segunda-feira, 30 de novembro de 2009

DIÁRIO DE BORDO - Encontrando respostas internamente!!!



É na consciência do coletivo que construimos nossa individualidade, que nos tornamos seres melhores... Nos momentos mais difíceis, quando pensamos que não vamos contornar, que não vamos encontrar solução e saída é que nos percebemos forte, muito forte.

Livia Leão


quinta-feira, 26 de novembro de 2009

DIÁRIO DE BORDO - Será que existe idade da fila? ...




Sair para apreciar o mundo ou para fazer qualquer coisa... é garantia de grandes pensamentos e reflexões.
A fila me dá uma sensação incomoda e que já havia sentido antes de forma diferente... é uma circunstância que dá preguiça de reencarnar, porque fico com a nítida certeza de que não quero ser nenhuma daquelas pessoas e como alguma daquelas pessoas...
 Normalmente queremos por força não acreditar que a reencarnação é uma "realidade" de preferência não absoluta.
Eu por exemplo sinto preguiça porque penso em começar tudo de novo... ser bebe, criança, adolescente, adulta... brincar, estudar, trabalhar... conhecer pessoas, me relacionar, re-encontrar!!!... ficar à mercê de pessoas irresponsáveis e violentas... ser esquecida dentro de carro e em qualquer outro lugar no tempo e no espaço...  chorar, ficar angustiada sem ter com quem compartilhar... ter muitos irmãos biológicos que lógico não são nenhuma "brastemp" embora você desenvolva por eles um sentimento que é antagônico, anti-empático; alguns você identifica e re-conhece...
 Uma promiscuidade que faz a gente que pensa muito e demais, ficar enjoada...
 É irmão que veio pai, é pai que veio mãe, é tio que veio primo, é primo que veio irmão, é filho que veio sobrinho, enfim... uma confusão dos diábos!!!
PARENTES, semelhantes, dna's, heranças genéticas... quase sempre de doenças!!! Competições, fofocas, mentiras... equívocos, desastres enfim, que costumamos chamar de "experiências para crescer", "desafios para evoluír" e assim, transformar nossa VIDA numa repetição que ninguém merece... cacete que desculpa esfarrapada!!!
E as pessoas quando se encontram e decidem ter um relacionamento de casamento ou seja lá do que for, a primeira providência é ter um "filho", para depois concluir que não há poesia, que filho atrapalha a vida, que filho é um compromisso com a eternidade.
 Sim, porque não há ex-filho!!! E eles com certeza não preenchem o vazio entre os casais, não correspondem às expectativas... é apenas o cumprimento da fila é só um chamado da natureza, dos hormônios... e aí precisamos claro, para aminizar um "bocadinho" dizer que é tudo divino e maravilhoso...
Por que?
Porque vivemos nos enganando... e essa energia é possível sentir de forma cruel e avassaladora quando estamos numa fila.
Podemos ver os zilhões de des-amparados, insatisfeitos, equivocados, sem entender nada de nada, reclamando, sempre reclamando!!!
Das faltas todas patrocinadas pelos "genitores", pró-genitor, todo mundo órfão, falando mal dos filhos, dos pais, das esposas, das mulheres, das namoradas, dos maridos que chamam de "pagadores de conta", do governo, do planeta, do mundo enfim, perdidos no espaço!!!
Jurando que viver é pagar contas... na minha opinião viver é pagar mico!!! Aliás a maioria das vêzes estamos "pagando" mico, sim porque a gente "paga" por tudo.
Somos eternos devedores segundo o discurso das pessoas nas filas da vida...
E existe fila para tudo, para nascer e morrer, para pagar e receber... hoje, até para namorar tem fila.
Algumas pessoas dizem que a sua fila anda, outras dizem que sua fila é enorme, outras dizem que a sua fila é pequena, enfim, uma coisa!!!
Existe um desconforto nas filas que me deixa assim, como estou descrevendo e pensando... olho, vejo, procuro explicação... e não adianta, não consigo entender a dinâmica e a entropia.
Mas não deixa de me atingir... porque nasci com essa característica peculiar... a de observar o mundo com um olhar crítico e selecionador.
Pretendo reduzir cada dia mais meu universo porque considero toda parafernália que traduz o mundo e a vida de zilhões de pessoas uma angustia.
Não os vejo e sinto felizes em suas filas.
 Nas filas que escolhem estar seja esperando para atender ou ser atendido.
Seja para dar ou receber...
Pessoas enfileiradas, esperando, esperando e esperando
uma eternidade...
ou algo parecido!!!

Livia Leão













quarta-feira, 25 de novembro de 2009

DIÁRIO DE BORDO - Concluo que o mundo é uma salada de frutas...








Mulheres melância...




Mulheres melão...




Mulheres pêra...





Homens abacaxi...





Homens banana...






Apenas para rir, porque os sabores combinam que é uma
maravilha...!!!
E nascemos pensando que somos humanos, hein!!!

Livia Leão



terça-feira, 24 de novembro de 2009

DIÁRIO DE BORDO - Declaro para os devidos fins...





Que sou uma pessoa que adora televisão... sério mesmo!
Considero a televisão um veículo de informação e cultura que foi pensado de maneira maravilhosa, para os preguiçosos e para os apreciadores de qualquer gosto.
Sou apaixonada pela imagem, pelos programas especiais que nos trazem informação e cultura.
Pelas pessoas que trabalham, construindo o tempo, reconstruindo épocas, eregindo em nome da arte qualquer coisa que for pensada.
Uma maravilha mesmo... considero um trabalho de formiguinha e tiro meu chapéu (que nem uso), para todos... desde o mais simples funcionário ao executivo, porque todos são importantissimos na engrenagem fantástica que é uma indústria fabulosa como a televisão.
Os bons programas merecem de nós todo respeito e audiência, por nos acrescentar, por nos informar, por nos colocar no mundo, ainda que fiquemos dentro de nossa casa, deitados ou sentados apenas usufruindo de tudo que as pessoas nos trazem.
Olho mesmo com muito boa vontade para tudo que me permito assistir na televisão e exatamente por isso, faço minha triagem, censuro de maneira criteriosa o que vejo porque sei que tem de tudo para todos os gostos.
Nós é que temos que saber na verdade o que queremos desse veículo.
Que tipo de conteúdo buscamos, o que queremos usufruir para nos enriquecermos... e esse é o nosso grande trunfo como telespectadores... cabe a nós trocarmos de canal quando nos sentirmos ultrajados, quando o produto não nos interessar e não nos disser respeito.
Existem canais maravilhosos de programas ricos em conteúdo, pensado por pessoas ocupadas em trazer para nós a mais precisa informação e os comentários mais inteligentes.
O mundo é diverso demais, o pensamento de todos nós é carregado de opinão formada pelas nossas reflexões e forma de ver a vida.
 Pelos nossos gostos e empatias.
 A televisão tem um poder enorme e uma responsabilidade igual de transmitir não uma verdade absoluta porque não existe, mas com fidelidade os acontecimentos diários, unindo imagem e texto de maneira honesta e precisa.
Não estou dizendo que tudo é assim, flores, até porque na vida não é assim, de novo tenho de dizer que nós é que fazemos a nossa censura de acordo com a realidade que queremos encontrar em meio a zilhões de realidades.
Sermos escolhedores conscientes é sempre uma responsabilidade.
Como vamos alimentar nosso cérebro, do que vamos alimentá-lo é algo que nos identifica e fala muito do que temos dentro de nós em intenção e procura...
Que mundo queremos construir dentro e fora de nós...
Como queremos viver nossos dias?
Sinto em mim o efeito imediato das coisas que me cercam, do que me patrocino porque presto atenção em mim e me reconheço como uma torre de contato com tudo que há... que vejo e que alcanço.
Essa facilidade que foi pensada pelo Homem, que aproxima, que trás informação, que denuncia, que nos coloca no mundo globalisando... nos levando a lugares jamais pensado é fascinante.
Podemos ir ao céu e ao inferno... basta escolhermos!!!
O controle... ainda que remoto... está em nossas mãos... ou nas mãos de alguém do nosso lado!!!
Nós temos fome de quê?




Livia Leão





sexta-feira, 20 de novembro de 2009

DIÁRIO DE BORDO - Como administrar uma existência... Difícil!!! Mas a gente tenta...

 ANA SHARP
                                                  SEKA NIKOLIC

Muito prazer em conhecê-las!!!

Essa semana tive o enorme prazer de ler dois livros, um de cada uma dessas lindas pessoas que são ricas em vocação, ou seja, que atenderam aos chamados e foram buscar respostas e solucionar problemas na área que considero a mais urgente de todas em nossas vidas, a compreensão da dor, a aceitação das angustias como sendo a mola propulsora de quase tudo que conseguimos transformar ao longo de nossas existências.
Que nos leva a buscas maravilhosas e encontros iguais com tudo que somos nós em todas as nossas dimensões.
Vale a pena trilhar esse caminho.
Vale a pena desvendar junto com essas pessoas as nossas próprias questões e penetrar no nosso universo infinito e particular.
Elas falam da simplicidade com simplicidade, de coisas possíveis de serem feitas por nós e para nós e que fazem a diferença.
Falam de cura, de saúde, de inifinitas possibilidades, de responsabilidades, de compromissos, de consciência... enfim, de tudo que podemos assumir de verdade em nossas vidas e que negligênciamos de maneira vergonhosa... bem, eu pelo menos faço isso e morro de vergonha de mim mesma... saio muito da prática que preciso para cuidar de mim, da minha saúde e de tudo que devo fazer para viver uma existência bacana como mereço.
Quando leio sobre coisas que são simples de serem incorporadas no dia a dia fico cheia de coragem e determinação, em alguns meses, volto a entrar no esquema de todo mundo, por ser uma pessoa que se contamina no hábito do outro.
 De vez em quando sou fraca...!!! 
Claro, que o compromisso com a minha vida é meu, mas é mais do que comprovado que é preciso que estejamos muito alerta para não entrar no esquema do todo, do grupo que se vive.
Seka é uma Terapeuta de Cura que trabalha com Bioenergética, nasceu em Sarajevo e tem poder de cura desde criança... Ana Sharp é brasileira e Terapeuta auto-didata e anticonvencional... adoro!!!
 As duas são do balacubaco na minha concepção.
Mulheres destemidas que são cumpridoras das suas missões e que estão legitimadas no seu trabalho pelo resultado com seus paciêntes, com suas formas de trabalhar e cuidar de quem precisa e as procura.
Eu sou 100% (cem por cento) adepta de suas formas de pensar e cuidar.
Dos seus estudos, das coisas que alcançam e que beneficiam com certeza a nossa vida oferecendo ao nosso corpo biológico uma condição saudável constante.
Quando estamos buscando consciência e saúde, precisamos buscar os recursos mais seguros e confiantes.
 O pensamento correto, a alimentação correta, as escolhas corretas...
as ATITUDES CORRETAS... acreditando, confiando... enfim, que estamos fazendo o que é melhor para o nosso bem estar, pela nossa saúde.
O que não quer dizer que não vamos entrar em contato com o mundo além do nosso, mas com esse exercicio, com certeza adquiriremos uma qualidade de vida que nos favorecerá, que nos conduzirá à conquista de tudo que estamos buscando.
É um arsenal de coisa que precisa ser modificado e por nós mesmos.
Mudar padrão de pensamento, mudar o pensamento a todo minuto numa vigilia incansável, transformar e transmutar dizeres de séculos!!!
É algo que nos parece impossível, pelo trabalho enorme e investimento maior ainda, de des-dizer tudo que fomos acostumados a ouvir desde que fomos concebidos...
Essa escolha de cuidar da gente através desses recursos lindos e ricos, de adquirir consciência e poder sobre nosso organismo é um salto quântico maravilhoso que devemos desfrutar, que devemos colocar em prática em nosso dia a dia.
Um dia seguido do outro, procurar pensar em coisas e nas coisas como queremos que seja, ao invés de deixar "a vida nos levar", ter o comando consciente de tudo que está em nosso poder e é nossa responsabilidade.
Sim porque se a vida é nossa, com certeza podemos conduzi-la da forma mais justa e precisa...
Existem coisas que parecem fugir ao nosso controle, ou melhor, fazemos coisas que não queremos, que nos são impostas pelo bendito sentimento de solidariedade, de uma consciência de que devemos cuidar, zelar, nos comprometer com tudo que nos diz respeito, sabendo que tudo é para nós, por nós, o outro pode ou não alcançar esse movimento, vai depender da sua sensibilidade, do seu alcance pessoal...
Concluo de maneira lamentosa que muito pouca gente está preparada para viver a vida compartilhada, atenta, desperta.
Antenada como se diz hoje!!!
Acho que uma maioria alarmante está mesmo "antenada", mas com tudo que não está perto, presente... e tudo é muito feito e pensado com uma distância física que me incomoda.
E aquele cuidado necessário e pessoa que está do seu lado fica em total abandono, porque estamos mesmo é em outro lugar... sabe-se lá onde!?
"_ A gente se vê... a gente se fala... te mando um e-mail... etc. etc. etc..."
Percebo enquanto caminho pelas ruas que estamos cada dia mais des-interessados por coisas que estão ao nosso redor, coisas e pessoas.
Casais sentam-se em restaurantes e nem sequer se olham, ficam os dois conversando ao celular... dentro de cada, nem se fala (desculpe o trocadilho!!!), existe um silêncio incomodo.
Percebo mulheres que administram suas casas pelo celular... que estão de maneira incomodante interessadas por tudo que seja virtual... hoje até a infidelidade é virtual... por preguiça ou medo das doenças sexualmente transmissíveis? ... !!!
Fica aqui a minha dúvida e questionamento.
Olhamos muito pouco para quem está do nosso lado... e por isso somos pegos de surpresa quando percebemos que algo está errado com alguém que vivemos juntos...
E isso é vergonhoso na minha forma de pensar a vida.
A minha prática de vida sempre foi cansativa porque sou muito atenta a tudo que me cerca e todos que fazem parte do meu dia a dia não me são indiferentes... isso é motivo de cansaço e desgaste, porque quase ninguém acha isso legal... bom mesmo é não ter ninguem "vigiando", "controlando".
E a falsa sensação de liberdade... sim porque esse não é com certeza o conceito e o sentido de liberdade.
E estou falando sobre essas coisas porque delas depende a nossa saúde, delas depende a compreensão da mecânica e da dinâmica da vida.
Sem esses cuidados, carinhos, atenções; para que precisamos morar com outras pessoas?
Sejamos eremitas assumidos, esse negócio de volume, de barulho dos outros para não me sentir só, estando só... não faz a minha cabeça e cria dentro e fora de mim um incomodo insuportável.
Tenho horror de solidão a dois, a três, a quatro, a cem...
E isso é tão forte que interfere no meu equilíbrio, na minha harmonia, porque considero companhia, parceria, algo essencial... fundamental.
E brincar de faz de contas é um exercício quase impossível para mim.
A leitura para mim tem essa função, os livros vêm para as minhas mãos, trazendo as melhores mensagens, conduzindo as formas mais simples de compreender a vida, dissolvendo os sentimentos que pareciam ser difíceis de serem dissolvidos.
Vou encontrando meus semelhantes e ao mesmo tempo assumindo minha individualidade.
Gostando das minhas mais profundas características... me admirando e celebrando dentro de mim, as minhas sensibilidades e alcances.
Adoro esse contato com os outros para perceber o quanto somos infinitamente parecidos e estupidamente diferentes... e que precisamos com urgencia buscar nos outros e em alguns outros seres; compatibilidade, sincronicidade, empatias que tornam a vida muito melhor e possível.
Nada pode ser mais insustentável que embates desnecessários, que trânsitos indesejáveis...(falo de pessoas, claro!)
É insalubre por demais da conta...
Por isso cultivo, cultuo em minha existência leituras, conhecimentos que me conduzam aos mais belos e simples sentimentos...
Porque já tenho uma natureza "rabujenta" leonina com ascendente em touro... que não nego, mas procuro tornar-me leve... ainda que seja assim...
uma dificuldade!!!
Os dois livros que li me enriqueceram demais e acredito que alguma coisa mudou para sempre...
e muito quero colocar em prática e vou... asta!!!



.
"EU FALO DE AMOR A VIDA, E NÃO DE MEDO DA MORTE.."
Paulinho Moska



"... ENTÃO ME DIZ QUAL É A GRAÇA DE JÁ SABER O FIM DA ESTRADA..."


É assim que penso a vida de vez em quando...
Assim que adoraria poder viver todo os meus dias...
Por merecimento e por acreditar...

Livia Leão





quinta-feira, 19 de novembro de 2009

DIÁRIO DE BORDO - Desabafo!!!





"TEM DIAS QUE EU FICO PENSANDO NA VIDA E SINCERAMENTE NÃO VEJO SAÍDA..."
Vinicius, Chico e Tom Jobim? deve ser essa a parceria...
 De qualquer modo isso realmente traduz alguns momentos em nossa existência.
 Aprendi que quanto pior o momento mais segura devo me sentir e isso realmente funciona... não resistir ao momento presente, deixar que passe e que se torne qualquer coisa que queira pensar no futuro com um enfoque ou conotação que quiser e puder dar é muito sábio.
 Todas as coisas, sejam elas ruins ou boas de acordo com a nossa consideração, passam... ficando em algum lugar que podemos acessar ou não dependendo do nosso interesse ou necessidade.
A compreensão e alcance das coisas que vamos capitando que não são nossas, mas sim de pessoas que somos ligadas demais, tão ligadas que nos tornamos simbióticas com elas são de vez em quando tormento!!!
 Precisamos nos distanciar para separar, para diluir, para ficar leve... e dar continuidade,  seguir em frente.
Ainda que eu compreenda que somos "o conjunto da ópera" seja ela dramática, traumática, alegre, feliz, traduz o que somos e como somos... Talvez por isso tenhamos o hábito de dizer que há fora de nós poderes supra-humanos que comandam, para nos anistiarmos das responsabilidades e compromissos que vamos catando feito papel na ventania ao longo da VIDA ou de existências inúmeras... cansativas existências!!!
Precisamos justificar as nossas negligências, criamos armadilhas difíceis de serem dribladas ao longo do tempo e que é o tempo todo...
Olhar a VIDA por esses prismas, descartar a orquestração, as infinitas possibilidades e forças que nos circundam, interferindo em nossas limitadas escolhas parece ser a melhor decisão... mas não é, claro que não!!!
Sinto uma necessidade visceral de transformação, de colher dados e acolher informações através do olhar do outro e do meu alcance, para pensar a VIDA de maneira prazerosa, simples e leve...
Preciso sentir a VIDA dessa maneira, porque sou movida a sentimentos avassaladores, preciso de paixão e de tesão pelas coisas que faço, pelos caminhos que vou trilhando... e a cronologia junto com a fisiologia estão me tornando um ser "morno"... odeio tudo que é morno.
A falência dos hormônios que modificam toda fisiologia fizeram em mim uma mudança que considero cruel e que não me interessa.
E não posso "morrer" de vergonha dos meus sentimentos verdadeiros... mentir é feio; dizer que é maravilhoso o processo de "envelhecimento", que desconhecer a mim mesma é bacana, que dormir gente fina e acordar pinel é legal é uma leviandade... uma loucura maior ainda.
Fico à flor da pele, me torno um radar fdp... e não sei o que fazer com essa conexão!!!
 Que graça pode ter isso?
Preciso de muito tempo para pensar e pesar tudo que chega até mim... porque parece que chegam ligações demais para a minha pobre torre suportar... é mais ou menos como os telefones, os rádios, as televisões!!!
Sintonização adequada, sintonia fina, com coisas que podem ser significativas e enriquecedoras.
Um silêncio para ouvir as coisas mais importantes, verdadeiras e significantes  para o nosso crescimento, para o enriquecimento real, substancial.
É dor por demais da conta, mas não tem problema, porque há consciência.
Lançar mão de vez em quando de uma "alice" básica faz bem ou quem sabe uma "polyana".
 Olhar ou melhor dar uma olhadinha no mundo pelos olhos de uma alice faz um pouco de bem, colorindo a paisagem e enxergando tudo rapidamente, sem dar muita importância ao que não tem importância... que está apenas adornando a paisagem ou enriquecendo visualmente.
Viagem mesmo!!!
Ou então fingir que tudo é lindo... aceitar tudo sem questionar ou movimentar...
Dimensionar nossos sentimentos através dos nossos hormônios e neurotransmissores, pensando sobre eles de maneira consciênte dá uma sensação legal de que somos um laboratório físico-químico... e que na idade em que estou... ele fica enlouquecidamente fora do compasso.
Acontecem tantas coisas dentro e fora de nós que temos a sensação de que estamos sendo invadidas, que perdemos o controle de tudo, que ficamos assim, com cara de paisagem. AHAH!!!
Sem graça mesmo... 
O bacana em tudo isso e de tudo isso é que ficamos sem pudor de expor os sentimentos, as sensações, que vêm e que vão rapidamente.
Parece que ficamos mais humanas, menos mulher e fêmea... o que é com certeza uma das grandes dificuldades de se lidar.
Precisamos fazer um esforço enorme para arrancar de dentro de nós aquela mulher que existia... do verbo não existir mais, em nós.
Toda nossa sensibilidade de humana se multiplica e se acentua de forma bacana.
 Passamos a ver os acontecimentos de uma forma muito peculiar e a assistir a tudo com pensamentos e reflexões maduras, holísticas!!!
Não me interessam as zilhões de realidades... esse momento foi ultrapassado... e de maneira sossegada vamos superando as nossas mais simples e complexas necessidades de conclusão.
Na verdade as inquietações é que são o nosso motor, sem elas não sairíamos do lugar, sem nossas angustias de humana não nos moveríamos e muito menos transformaríamos.
É preciso acordar angustiada, mexida e mexendo com tudo que podemos e até mesmo as coisas que não entendemos momentaneamente.
Mesmo que o choro venha, mesmo que o sentimentos sejam desconfortáveis, precisamos acordar, despertar, movimentar para ter a sensação de vida e da vida... dentro de nós e ao nosso redor.
O nosso infinito particular precisa ser respeitado e devidamente dimensionado.
Não podemos nos comparar a nada e nem a ninguém porque os nossos questionamentos são nossos e são importantes por serem nossos!!!
E por serem nossos são os que verdadeiramente nos dizem respeito...
Não tenho mais medo de ficar parecendo que misturo os assuntos porque reconheço a vida como uma única coisa, todas as dimensões e qualquer dimensão que eu der será verdadeira, genuína, maravilhosamente minha...
Quando tudo parece estar perdido ou mesmo sem saída, encontramos em manifestações simples, a resposta para nossas idiossincrasias...
E assim, vamos em frente, cada momento, todos os dias, a nossa existência toda... nos fortalecendo e crescendo diante de todos os acontecimentos manifestados para nos saírmos bem, para que cheguemos sempre onde queremos chegar usando nossa inteligência e capacidade de alcance...

"TÁ DIFICIL SER EU SEM RECLAMAR DE TUDO..."






Mas sempre chego em algum lugar, dentro de mim claro...
porque é o melhor lugar do mundo!!!


Livia Leão




quarta-feira, 18 de novembro de 2009

DIÁRIO DE BORDO - As músicass e as vozes nossas de cada dia!!!



















 "MINHA VOZ, MINHA VIDA, MEU SEGREDO E MINHA REVELAÇÃO. MINHA LUZ ESCONDIDA, MINHA BUSSULA E MINHA DESORIENTAÇÃO..."  Caetano Veloso


                                                               

"O AMOR É UM GRANDE LAÇO, UM PASSO PARA UMA ARMADILHA..." Djavan

Assim... trilhar junto com essas pessoas e suas vozes maravilhosas é o que há de melhor.
 Ter a sensibilidade e o alcance de admirar suas artes, acompanhar seus caminhos em canções recheadas de lindas mensagens para mim é uma felicidade!!!
Maravilhosos companheiros de todas as horas e para todas as horas...
Claro que qualquer manifestação é pequena em relação a todas as emoções e fechamentos de ciclos regados ao som desses artistas maravilhosos que me acompanham a décadas!!!
E eu os acompanho também com gratidão e respeito...


                                                              



"Enquanto todo mundo espera a cura do mal... eu finjo ter paciência... a gente espera do mundo e o mundo espera de nós, um pouco mais de paciência..." Lenine


Assim!!!
Infinitas... um sem número de poesias e canções lindas e cheias de emocionalidades!!!
Por enquanto é só... e tem muitos mais, claro!!!
Livia Leão

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

DIÁRIO DE BORDO - FELICIDADE URGENTE PARA TODOS!!!




AMIGOS COLORIDOS E
PRETO E BRANCO

Posso falar hoje que podemos ser feliz com muito pouco e que o que nos faz feliz mesmo é experienciar coisas como encontro com amigos de infância, pessoas que ao encontrar sequer percebemos que o tempo passou.
 É uma felicidade sem comentários.
Muita coisa para contar!!!
Novidades em todos os seguimentos, acontecimentos pitorescos!!!
 Uma farra de assuntos a serem versados e coisas a serem ditas...
Tudo com enorme facilidade e expontaneidade...
Maravilha!!!
Existem pessoas que nos fazem bem, que aparecem de vez em quando para nos mostrar que tudo é possível, que as coisas acontecem da melhor forma sim, que as experiências precisam ser interpretadas como algo maravilhoso ainda que sejam desafiantes...
E desafios,  vão surgindo para irmos aprendendo a lidar, a interpretar e superar.
Eu tenho enorme boa sorte... a vida sempre me trás pessoas lindas, cheias de sensibilidade e presentes em um momento necessário em minha existência.
Sou uma pessoa reconhecedora de todos os bens que a vida me trás e me concede.
Sou muito grata a tudo que vivo e que escolho e sempre faço ou pelo menos procuro fazer a melhor leitura.
Sendo justa? Não, quase sempre condescendente, porque me coloco no lugar do outro.
 Quando ajo diferente disso cometo erros graves, porque quando estamos vaidosos ultrajamos os outros, somos munidos de um sentimento que não leva a nenhum lugar, pelo menos que tenha sentido e justa causa.
Essa brincadeira de certo e errado, todos os critérios que usamos para nos colocarmos e nos posicionarmos faz da gente pessoas chatas e pretenciosas por demais da conta.
Bom mesmo é assumirmos nossa humanidade, que tudo contém, que tudo pode, de acordo com nossas necessidades sejam elas vaidosas, genuínas, todas legítimas, por serem nossas.
Dignas de serem pensadas o tempo todo sob todos os aspectos.
 Digna de serem analisadas através dos acontecimentos que vamos gerando pela vida a fora, pelo tempo enfim...
O que nos parece errado, o que nos parece algo sem perdão ou seja que não merece uma segunda chance  é ilusão... muita ilusão.
Tudo se perde com o tempo, se dilui de tal maneira que ficamos sem acreditar que fizemos tanta tempestade em copo d'agua!!!
Perdemos nossa humanidade de vista porque ficamos nos punindo durante anos, tempo demais!!!
Por isso digo sempre que posso a mim mesma, que quero ser de verdade uma pessoa leve... alguém que desconsidera qualquer banalidade, que deixa mesmo o que não me merece respeito "para lá"... ou seja, que penso naquilo que tem valor genuíno, o mais que fique onde deve ficar.
Quando era criança tinha a nítida sensação de que as coisas só existiam sob o meu olhar, quando não estava perto de mim, quando desaparecia do meu campo visual não existiam...
embora ficasse em mim uma sensação péssima, sim porque quando as pessoas que eu considerava da maior importância desapareciam ficava com uma puta sensação de abandono... era horrível!!!
Acredito que por isso fui desenvolvendo mecanismos de defesa e uma conduta de independência e uma auto-defesa insuportável, que hoje me custa caro!!!
Diluir... nem sei se o termo e o sentimento correspondem... acho mesmo que preciso me livrar disso.
Desse desejo e necessidade de ser auto-suficiente e de de repente me pegar insuportavelmente dona do meu nariz... incomoda os outros e me incomoda de vez em quando.
Principalmente quando me encontro com vontade de construir um relacionamento de amor.
Infelizmente as relações passam por essa necessidade ou por esse hábito.
Ainda que eu assuma minhas dificuldades e fragilidades sempre me enrolo, me perco e perco o outro de vista.
Fico tanto tempo sozinha que quando vou me relacionar com alguém "meto os pés pelas mãos"... fico vulnerável demais e carente demais... e isso não é uma verdade... é apenas uma urgência.
Tenho horror de esperar... tenho horror de ficar naquele momento preenchimento de ficha chato, sem sentido, enfim.
 Sou uma criatura "impossível" e agora então, acho que não tenho a menor chance de construir qualquer coisa com outra pessoa se essa pessoa não souber que isso não é um fator impossibilitador.
Os homens não têm essa paciência... a não ser quando gostam muito da gente!!!
Os sentimentos são uma grande armadilha, os meus são antagônicos demais.
 Fico pensando e pensando e pensando e no final... faço tudo diferente daquilo que penso e concluo.
Não estou muito à vontade e confortável na vida a cinquenta e dois anos, mas fiquei muito feliz quando li no livro de uma pessoa que considero demais o que ele escreve, que isso é maravilhoso para o nosso crescimento.
E acho que é sim.
 Mas isso só agora!!!
Porque antes não sabia lidar.
Tenho certeza que só tem um jeito de conhecermos melhor alguém é participando da sua vida, é com vivendo com ela ou seja partilhando e compartilhando dos acontecimentos com enorme disponibilidade e comprometimento; quando não nos interessamos pelas coisas do dia a dia de alguém significa que não a queremos em nossa existência, embora esse dia a dia seja massacrante é a grande prova e a melhor delas!!!
Precisamos nos relacionar com nossos amigos, com pessoas perto da gente, aquelas que fazem parte da nossa existência por longo, longo tempo... !!!
As que caem de pára-quedas são legais, um verdadeiro festival de hormônios que patrocinam instantes de prazer e emoções fortes que não levam a lugar nenhum...
E nós ou melhor, eu, fico com cara de paisagem, porque a sensação que tinha quando criança não acontece nesses casos... fico querendo me conectar para ter certeza de que a pessoa existe em algum lugar!!!
O que não acontece com os amigos de infância... eles sempre voltam em algum tempo e nos correpondem em todos os sentimentos.
E sei que é porque não criamos expectativas...
que frustram qualquer sentimento lindo!!!



Livia Leão

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

DIÁRIO DE BORDO - SOCORRO!!! Alguém me ajude!!!

O que acontece com a gente quando nos desviamos do nosso trajeto e das coisas que consideramos importantes em nossa vida e para a nossa vida?!!!
Ficamos assim, com uma cara de quem está vivendo a verda-


deira treva... e é, claro!!! Onde já se viu, a vida é para nos sentirmos e sermos felizes. Existem coisas que parecem mesmo estar fora do nosso dominio, do nosso querer. Ontem conclui que sim, porque nos relacionamos com os outros e nos envolvemos com os outros de tal maneira que desviamos nossa rota, escrevemos roteiros diferentes daquele que queríamos em nome de um sentimento que consideramos ter pelas pessoas que elegemos e não pensamos que o sentimento é nosso e que nem sempre o outro está interessado, afim, enfim... essas coisas que chamamos de desencontros.
E existe também aquela que chega em nossa vida para gerar desafios. Muitos desafios!!! Cansativos desafios... e que temos a nítida sensação de que não podemos nos "livrar" delas. Loucura da nossa parte, porque é ilusão. É ilusão querer ou mesmo pensar em criar uma relação de afeto com quem não está na nossa mesma sintonia, com quem não está disponível para nós. Dizer isso para os nossos hormônios "é que são elas". AHAHAH!!! Mas é necessário um investimento pesado e profundo do contrário ficamos reduzidas a momentos insustentáveis e frustrantes. SOCORRO!!!
Penso que se estivéssemos onde estamos a todo momento tudo seria simples e evitaríamos muitos acontecimentos e eventos desagradáveis. Teríamos consciência do nosso presente... presente nele.
Esse aqui em que estou de maneira inútil versando sobre coisas que não têm importância, porque fazem parte da minha vaidade, da minha necessidade de controle. De repente penso e isso é enquanto estou escrevendo e concluindo que faz enorme bem escrever, porque enquanto vou colocando para fora tudo que está incomodando, vou sendo presenteada com relâmpagos de consciência e vem a luz. SIM é isso!!!
E assim, fico mais leve e deixo qualquer coisa que pareça importante controlar, de lado. A sensação é que é importante e verdadeira, porque o sentimento como dizia Cazuza "O NOSSO AMOR A GENTE INVENTA PARA SE DISTRAIR, E QUANDO ACABA A GENTE PENSA QUE ELE NUNCA EXISTIU..." Adoro isso, porque é a mais pura verdade em todos os momentos. Quando penso em sofrer... em ficar pensando em qualquer situação que seja fruto da minha carência e necessidade de inventar alguém em minha vida é legal lembrar disso.
As pessoas são livres, elas precisam como nós de ter essa sensação e viver com esse sentimento. Qualquer encontro precisa ser com vontade e desejo genuíno... quando voltamos ou vamos para qualquer lugar porque não temos outro para ir, quando vamos para algum lugar encontrar pessoas que adoraríamos encontrar de preferência "nunca", é horrível"... é a treva!!!
Quando falo de sentimento não falo só do de homem por mulher e de mulher para homem, não, falo de todos os relacionamentos... porque considero que esse é o nosso maior desafio. AMAR.COM sem BR é complicado, porque quando nós não cobramos, os outros cobram, os outros pensam que não são queridos porque não são cobrados ou porque não cobramos. Que pica, hein!!!
E quando queremos simplesmente nos relacionar de maneira leve e livre... aí então é que o negócio fica complicado!!! A nossa grande maluquice em relação aos sentimentos inflacionados, sim porque chamamos qualquer encontro hormonal de "relacionamento, de gostar" é que por algum desvio, precisamos ser correspondidas em igual intensidade e isso não acontece. Duas pessoas se amarem ao mesmo tempo considero mais difícil do que fazer 15 pontos na Lotofácil! ahahahahahah!!! Sim, porque parece que a natureza só nos coloca em roubada... quando alguém se interessa a gente não sente assim... grande coisa. Então acho que isso é um desvio horrível, muito mais que um desencontro.
E a necessidade de controle e de posse? Enfraquece demais... porque na verdade estamos sempre vivendo em um vácuo que precisa ser preenchido nem que seja de coisas e pessoas que não nos servem para nada. Que fazem parte do nosso devaneio. Não nos sentimos à vontade e seguros na vida. Se não tivermos volumes de coisas... uma casa cheia de objetos e de informações cansativas, uma existência cheia de pessoas de hábitos e costumes diferentes dos nossos...parece que estamos soltos, perdidos na vida. Se não consumimos, se não sentimos ou pelo menos fingimos sentir necessidade dos outros ficamos deslocados por demais da conta. O que nos sustenta e nos dá segurança é tão falso e mentiroso que de vez em quando fico com vergonha!!!
Olho mesmo para tudo e todos ao meu redor e penso com toda sinceridade e verdade que me é peculiar e pergunto... por que isso todo dia, para que isso todos os dias? Acho que todo dia não há sentimento de amizade, carinho, cuidado, respeito que resista!!! Preciso do distanciamento, preciso da trégua... preciso do tempo para sentir falta, para sentir saudade, para reconhecer e legitimar qualquer pessoa e coisa em minha existência, do contrário fico cansada demais e cruel... o ônus disso é de vez em quando sentir uma sensação não muito legal de "solidão", não é a solidão comum, mas a solidão da conversa produtiva, do encontro feliz e cheio de conteúdo, do abraço genuíno que traduz - "caramba como é bom te encontrar" enquanto tu está por aí escrevendo tua história, vivendo tuas experiências e colhendo dados... para o teu crescimento e amadurecimento!!! Adquirindo toda beleza necessária para colocar no mundo os mais lindos apreendizados...
O que me deixa profundamente feliz é que depois que muita coisa acontecer e água passa embaixo da ponte - chega-se a esse nível de confiança, de falar explicitamente o que pensa e sente. De fazer escolhas e pagar todo preço delas com muita consciência...
Ainda que precise quase sempre explicitar para alguém isso, vale a pena. Cansa por demais ter de falar... mas considero muito mais cansativo ter de ser quem não sou, pensar como não penso para estar inserida em um contexto que não me interessa.


Nada é pessoalizado para mim... generaliso mesmo esse comportamento/atitude. Acho que os relacionamentos precisam ser negociados de maneira mais honesta. Precisamos deixar de lado a hipocrisia e falar daquilo que realmente nos interessa com coragem, tesão e verdade!!! Para ser inteira e feliz diante da gente mesmo... o outro que se quizer nos encontre no meio do caminho... É tão simples que chega a ser complicado!!! Depois falo mais sobre esse assunto... Asta!!!


domingo, 8 de novembro de 2009

DIÁRIO DE BORDO - Revelações ...




Assumir minhas fragilidades de humana em um corpo biológico de mulher é a minha garantia de LIBERDADE!!!
Nada é mais importante que a liberdade... abro mão de qualquer coisa para experienciar essa sensação e esse sentimento.

Livia Leão

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

DIÁRIO DE BORDO - PESSOAS QUE INCOMODAM.COM



Nós seres humanos somos de tal maneira julgadores, críticos e difíceis de alcançar o movimento do outro que passamos boa parte de nossa existência ocupados em falar o que não se sabe sobre o que quer dizer as pessoas que se manifestam artisticamente, que fazem seu trabalho da melhor forma, que nos instigam a pensar e que são veículo das mais profundas reflexões.
Acho que poderíamos começar um movimento que é de grande valia... que é o compromisso de só nos interessarmos pelo que nos interessa. Que tal?
Ler, assistir, comentar, participar, fomentar assuntos que nos digam respeito.
Quando nos manifestamos com opiniões precisamos tomar decisões.
 Do contrário nos tornamos pessoas "enjoadas".
Todos nós gostamos muito de dar opinião a respeito de tudo que acontece no mundo. Quando na verdade estamos precisando "ontem", nos ocupar das coisas que estão necessitando urgente de serem transformadas e sempre para melhor.
 Se nos ativermos ao que está errado e dermos ênfase sempre ao erro, ao engano, o mundo se repetirá em coisas e assuntos desagradáveis e ransos impossíveis de melhora e crescimento.
Claro que não  temos que gostar das mesmas coisas e essa idiossincrasia e diversidade é que faz o mundo interessante... já pensou se todos gostassem do amarelo como eu?
 O mundo seria um tédio... chato!!!
Todos nós, cada um de nós está com certeza buscando sua forma e modelo de felicidade... o que é felicidade para um não é para o outro.
 Tá certo que fácil não é, assistir coisas que nos parecem absurdas.
Mas façamos então uma triagem, nos coloquemos melhor diante do mundo, sejamos bons cidadãos e não tenhamos vergonha disso.
 Enquanto acordarmos assistindo a jornais, investindo nosso tempo com coisas que não nos diz respeito e que está pensado para que nos sintamos DESENCANTADOS, estaremos considerando que a vida é vista pelo olhos dos "semeadores" de tudo que não nos serve.
Estejamos atentos, sejamos participantes ativos nas nossas escolhas nos mínimos detalhes.
Usemos nosso radar para atrair e para fomentar "MELHORES DIAS", prognósticos otimistas em todos os setores da VIDA.
Nada é mais fálico do que os paladinos da justiça!!!
Se nos INDIGNASSEMOS VERDADEIRAMENTE, ótimo... seria maravilhoso.
Mas ficamos mesmo é RECLAMANDO, ATIRANDO PEDRA, FAZENDO CRÍTICA NEGATIVA  e COMENTÁRIOS MALDOSOS.
E daí?
Nada acontece...
ou melhor tudo acontece...
porque...

Livia Leão


"PENSAR É CAUSAR"

Albert Einstein 



"Na infinita diversidade da criação, cada percepção dá origem a um mundo que a reflete..."

Deepak Chopra



quarta-feira, 4 de novembro de 2009

DIÁRIO DE BORDO - Homenagens!!!

O HOMEM VELHO


O Homem velho
 deixa vida e morte para trás.
Cabeça a prumo
segue rumo
e nunca...
nunca mais.
O grande espelho
que é mundo
ousaria refletir
os seus sinais
o Homem velho
é o rei dos animais.
A solidão
agora é sólida
uma pedra ao sol.
As linhas do destino
nas mãos
a mão apagou.
Ele já tem a alma saturada
de poesia,
soul e rock 'n' roll.
As coisas migram e ele serve de farol
A carne,
a arte arde
a tarde cai
no abismo das esquinas.
A brisa leve trás
o olor fulgáz
do sexo das meninas.
Luz fria
seus cabelos têm tristezas de neon.
Belezas, dores e alegrias,
passam sem um som.
Eu vejo o Homem velho
rindo numa curva
do caminho Hebron.
E ao seu olhar
tudo que é cor
muda de tom.
Os filhos,
 filmes,
livros,
ditos...
como um vendaval.
Espalham-no além da ilusão
do seu ser pessoal.
Mas ele dói e brilha único

maravilha sem igual.
Já tem coragem de saber
que é imortal.

CAETANO VELOSO



E assim o Homem ou melhor, os Homens justificam suas existências... lindas existências com grandes feitos, pensamentos ricos que nos fazem encontrar sentido... que nos dá sentido.
Quase sempre penso nesses dois homens, mas existem muitos e maravilhosos homens construidores, fazedores de tudo que há de melhor. Claro que sim!!!
Precisaria de uma enorme galeria para colocar fotos e homenagear essas pessoas que contribuem de maneira generosa para que a nossa vida seja pensada da melhor forma. Para que nós possamos vivê-la com muito mais consciência e despertar.

Criatividade...!!!





















































                                                                           






INFINITAS POSSIBILIDADES!!!



            







"QUANDO EU ME ENCONTRAVA PRESO,
NA CELA DE UMA CADEIA
FOI QUE EU VI
PELA PRIMEIRA VEZ
AS TAIS FOTOGRAFIAS
EM QUE APARECES INTEIRA
POREM LÁ NÃO ESTAVAS NUA
E SIM COBERTA DE NUVEM... TERRA, TERRA..
POR MAIS DISTANTE
O ERRANTE NAVEGANTE
QUEM JAMAIS
ESQUECERIA..."

Caetano Veloso




Ao meu irmão biológico André Leão, que lógico com sua sensibilidade flagrou a natureza nesse momento mágico!!!
Lindo Homem e pessoa maravilhosa... fácil de amar e alcançar!!!
A todos que aqui estão e ao muitos que poderiam estar também, muito obrigada pelo que me têm doado em ensinamento...
A todos os meus amores ocultos, anônimos e declarados...


Emmanuel, Marcia, Cecilia, Ana Maria, João, Bruno, Fátima, Camila, Leonardo, Danilo, Alessandra, Marcio, minha mãe, meu pai (e porque não?), meus amigos e amigas, namorados e amantes (porque ninguém é de ferro!!!), etc. etc. etc...



"O MELHOR O TEMPO ESCONDE
LONGE MUITO LONGE
MAS BEM DENTRO
AQUI..."
Caetano Veloso




FELICIDADE URGENTE!!!







"PENSAR É CAUSAR"
Albert Einstein




Livia Leão



ORAR, ORAÇÃO, ORAÇÕES!!! ...

Todas as formas de oração são perfeitos apelos em nos alinharmos com o que queremos, com o que se sente, com o que buscamos dentro de nós...