Pular para o conteúdo principal

DIÁRIO DE BORDO - Declaro para os devidos fins...





Que sou uma pessoa que adora televisão... sério mesmo!
Considero a televisão um veículo de informação e cultura que foi pensado de maneira maravilhosa, para os preguiçosos e para os apreciadores de qualquer gosto.
Sou apaixonada pela imagem, pelos programas especiais que nos trazem informação e cultura.
Pelas pessoas que trabalham, construindo o tempo, reconstruindo épocas, eregindo em nome da arte qualquer coisa que for pensada.
Uma maravilha mesmo... considero um trabalho de formiguinha e tiro meu chapéu (que nem uso), para todos... desde o mais simples funcionário ao executivo, porque todos são importantissimos na engrenagem fantástica que é uma indústria fabulosa como a televisão.
Os bons programas merecem de nós todo respeito e audiência, por nos acrescentar, por nos informar, por nos colocar no mundo, ainda que fiquemos dentro de nossa casa, deitados ou sentados apenas usufruindo de tudo que as pessoas nos trazem.
Olho mesmo com muito boa vontade para tudo que me permito assistir na televisão e exatamente por isso, faço minha triagem, censuro de maneira criteriosa o que vejo porque sei que tem de tudo para todos os gostos.
Nós é que temos que saber na verdade o que queremos desse veículo.
Que tipo de conteúdo buscamos, o que queremos usufruir para nos enriquecermos... e esse é o nosso grande trunfo como telespectadores... cabe a nós trocarmos de canal quando nos sentirmos ultrajados, quando o produto não nos interessar e não nos disser respeito.
Existem canais maravilhosos de programas ricos em conteúdo, pensado por pessoas ocupadas em trazer para nós a mais precisa informação e os comentários mais inteligentes.
O mundo é diverso demais, o pensamento de todos nós é carregado de opinão formada pelas nossas reflexões e forma de ver a vida.
 Pelos nossos gostos e empatias.
 A televisão tem um poder enorme e uma responsabilidade igual de transmitir não uma verdade absoluta porque não existe, mas com fidelidade os acontecimentos diários, unindo imagem e texto de maneira honesta e precisa.
Não estou dizendo que tudo é assim, flores, até porque na vida não é assim, de novo tenho de dizer que nós é que fazemos a nossa censura de acordo com a realidade que queremos encontrar em meio a zilhões de realidades.
Sermos escolhedores conscientes é sempre uma responsabilidade.
Como vamos alimentar nosso cérebro, do que vamos alimentá-lo é algo que nos identifica e fala muito do que temos dentro de nós em intenção e procura...
Que mundo queremos construir dentro e fora de nós...
Como queremos viver nossos dias?
Sinto em mim o efeito imediato das coisas que me cercam, do que me patrocino porque presto atenção em mim e me reconheço como uma torre de contato com tudo que há... que vejo e que alcanço.
Essa facilidade que foi pensada pelo Homem, que aproxima, que trás informação, que denuncia, que nos coloca no mundo globalisando... nos levando a lugares jamais pensado é fascinante.
Podemos ir ao céu e ao inferno... basta escolhermos!!!
O controle... ainda que remoto... está em nossas mãos... ou nas mãos de alguém do nosso lado!!!
Nós temos fome de quê?




Livia Leão





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PARA VIVER UM GRANDE AMOR...

Estou aqui pra dizer a você que aqui estou... Estou aqui pra dar continuidade ao nosso crescimento juntos... que fazem intervalos pequenos diante da eternidade... É quando sorrio de verdade é quando me acomodo com segurança e me aconchego sem medo. Conheço um pouco dos seus limites, a profundidade das suas lindas qualidades, generosidade, parceria e delicadeza que admiro e preciso em um relacionamento. Assim como antes, em tempos que conseguimos separar, Onde se pode conjugar passado, presente e futuro Onde se pode prever que há o que "rolar" ... Sabemos de amizades, sabemos de conforto e de confiança. A vontade, ficamos sem nenhum desconforto que maculam os encontros e a nossa vontade é superior aos riscos que corremos sem nenhum temor (???) ... Tudo que poderia causar desconforto e separação será retirado e excluído elegantemente porque merecemos...
E tão grande amor que pode ser do outro
mas que é meu...
Não apenas meu, mas inventado por mim
nascido de mim,
em mim...
E q…

Sobre todas as coisas e nenhuma delas em especial!!! ...

Falando assim como quem tem uma certeza absoluta o mundo é muito rico em tudo que a gente pode imaginar. Podemos dele desfrutar como quisermos.  Se temos um mínimo de sabedoria, se conseguimos saber o mínimo de nós mesmos nos sairemos bem diante da vida que vamos escolhendo momento a momento. Tenho medos como qualquer criatura humana que habita o planeta, mas ao longo dos meus dias traduzidos em 59anos fui ganhando um certo jeito de pensa-la; de driblar as minhas fragilidades, de encontrar forças em mim mesma, de não apenas saber quem eu sou agora, mas também de quem quero ir me tornando enquanto passeio por aqui. Lido simplesmente muito mal com a morte, não a minha, mas a das pessoas... e isso se estende não apenas às que penso conhecer, mas a todas as pessoas que sei que morreram, que os seus corpos estão sendo enterrados ou cremados, que enquanto isso acontece no plano físico/material, outras muitas pessoas especulam, inferem,  sobre a vida após o fim ... o encerramento da vida co…

DO QUE PRECISAMOS???

Precisamos de música, ...  precisamos de água, de alegria, de combustíveis e recursos disponíveis, fáceis e práticos. De respeitar as necessidades básicas de viver, de caminhar em ressonância com o que queremos e acreditamos. De nos alinharmos com o que nos acrescenta... Deixar que as pessoas cuidem de si mesmas,  de solidarizarmo-nos com aquilo que podemos de alguma maneira colaborar. E em nossa vida pessoal e intima, ter à mão apenas o que nos favorece e beneficia... os excessos cansam, frustram, destroem qualquer possibilidade de alegria e felicidade. Porque nos exigem tempo demais, trabalho demais, pre-ocupações excessivas. Não nos preenchem, não nos deixam em paz... Tudo que nos desconforta é desnecessário. Precisamos de silêncio e cuidados... de atenção, delicadezas, gentilezas e carinhos... patrocinarmo-nos sentimentos e sensações que nos adormeçam com tranquilidade ainda que não saibamos se amanhã será mesmo outro dia... e será!!! Será um novo dia... traduzido em zilhões de o…