Pular para o conteúdo principal

DIÁRIO DE BORDO - Sobre todas as coisas?

Considero que o grande sofrimento de nós Homens é a decepção que sofremos quando conquistamos aquilo que pensávamos que fossemos sentir a nível de "ação prolongada".
Tudo acontece muito rápido!!!
O prazer é sempre muito rápido e aí vem o desejo de mais e do de novo, de novo, de novo...
É assim no sexo...
É assim na conquista de um bem material que muitas vêzes se torna um mal material...
É assim, no interesse em construir um relacionamento com alguém...
É assim quando compramos qualquer coisa por simples consumismo e não necessidade...
As nossas carências produzem urgências perigosas que nunca são oriundas de necessidades, mas de vazio interior.
E aí, nossa casa fica lotada de "coisas" sem utilidade, que dão trabalho, que exige uma demanda exaustiva de tempo pra limpar a poeira que tudo isso acumula...
O computador, o mundo virtual vem de certa maneira minimizar o sofrimento do espaço físico dos acumuladores.
Nele tem tudo. 
Nele contém tudo.
Tem a música, a literatura, as infinitas possibilidades...
Também a proteção, o distanciamento; a mentira verdadeira do que gostaríamos de ser....
A imaginação e a criatividade.
Podemos nos identificar expondo nossa verdadeira figura, mas também podemos usar outras imagens que nos identificarão.
Podemos ser usadas e podemos usar...
Criar uma relação de dependência e andar abraçada com ele pelo mundo...
ou ficar em casa visitando o mundo inteiro.
Conhecer mentes brilhantes, adquirir conhecimento, buscar informações, mergulhar em histórias e estórias com credibilidade ou inventada para virar verdade.
A nossa capacidade de interesse regada a prazer é infinita e é dela que alimentamos nossos dias... dia-a-dia.
E o prazer saciado gera outro, que precisa de outro e de outro... para preencher...
o que parece não ser possível.
Percebo um enorme cansaço nas pessoas acumuladoras, um eterno "ocupar" com tanto para limpar e nenhuma ligação consciente com o que armazenam...
E aí, o prazer não rola...
E o tempo cronológico não dá conta com apenas vinte e qutro horas diárias...
E o medo de não estar inserido no contexto?
É angustiante e nem sequer prestamos atenção no nosso discurso lamurioso de exaustão!!!
PRAZER ALGUM ACONTECE, claro!!!
Sem nos darmos conta entramos numa ciranda perigosa que serve de armadilha para nos perdermos em meio a tanta coisa que abraçamos sem necessidade...
Administrar as nossas possessões exige um esquecer de nós mesmos enlouquecedor... ainda mais quando des-consideramos que tudo que acolhemos porque escolhemos é parte de nós... bonito, feio, fácil, difícil... e cuidar de todas as nossas escolhas... menino!!!
É pra base de uma loucura...

Fiquem bem e cuidem-se bem!!!

Livia Leão



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PARA VIVER UM GRANDE AMOR...

Estou aqui pra dizer a você que aqui estou... Estou aqui pra dar continuidade ao nosso crescimento juntos... que fazem intervalos pequenos diante da eternidade... É quando sorrio de verdade é quando me acomodo com segurança e me aconchego sem medo. Conheço um pouco dos seus limites, a profundidade das suas lindas qualidades, generosidade, parceria e delicadeza que admiro e preciso em um relacionamento. Assim como antes, em tempos que conseguimos separar, Onde se pode conjugar passado, presente e futuro Onde se pode prever que há o que "rolar" ... Sabemos de amizades, sabemos de conforto e de confiança. A vontade, ficamos sem nenhum desconforto que maculam os encontros e a nossa vontade é superior aos riscos que corremos sem nenhum temor (???) ... Tudo que poderia causar desconforto e separação será retirado e excluído elegantemente porque merecemos...
E tão grande amor que pode ser do outro
mas que é meu...
Não apenas meu, mas inventado por mim
nascido de mim,
em mim...
E q…

Sobre todas as coisas e nenhuma delas em especial!!! ...

Falando assim como quem tem uma certeza absoluta o mundo é muito rico em tudo que a gente pode imaginar. Podemos dele desfrutar como quisermos.  Se temos um mínimo de sabedoria, se conseguimos saber o mínimo de nós mesmos nos sairemos bem diante da vida que vamos escolhendo momento a momento. Tenho medos como qualquer criatura humana que habita o planeta, mas ao longo dos meus dias traduzidos em 59anos fui ganhando um certo jeito de pensa-la; de driblar as minhas fragilidades, de encontrar forças em mim mesma, de não apenas saber quem eu sou agora, mas também de quem quero ir me tornando enquanto passeio por aqui. Lido simplesmente muito mal com a morte, não a minha, mas a das pessoas... e isso se estende não apenas às que penso conhecer, mas a todas as pessoas que sei que morreram, que os seus corpos estão sendo enterrados ou cremados, que enquanto isso acontece no plano físico/material, outras muitas pessoas especulam, inferem,  sobre a vida após o fim ... o encerramento da vida co…

DO QUE PRECISAMOS???

Precisamos de música, ...  precisamos de água, de alegria, de combustíveis e recursos disponíveis, fáceis e práticos. De respeitar as necessidades básicas de viver, de caminhar em ressonância com o que queremos e acreditamos. De nos alinharmos com o que nos acrescenta... Deixar que as pessoas cuidem de si mesmas,  de solidarizarmo-nos com aquilo que podemos de alguma maneira colaborar. E em nossa vida pessoal e intima, ter à mão apenas o que nos favorece e beneficia... os excessos cansam, frustram, destroem qualquer possibilidade de alegria e felicidade. Porque nos exigem tempo demais, trabalho demais, pre-ocupações excessivas. Não nos preenchem, não nos deixam em paz... Tudo que nos desconforta é desnecessário. Precisamos de silêncio e cuidados... de atenção, delicadezas, gentilezas e carinhos... patrocinarmo-nos sentimentos e sensações que nos adormeçam com tranquilidade ainda que não saibamos se amanhã será mesmo outro dia... e será!!! Será um novo dia... traduzido em zilhões de o…