Pular para o conteúdo principal

DIÁRIO DE BORDO - Coisinhas que não podem deixar de ser ditas, faladas, gritadas...




O que é essa "criatura" que se propôs a "adotar" uma criança?
Infelizmente sabemos que existe de tudo nesta dimensão e que não podemos sofrer enfartos todas as vêzes em que assistimos atrocidades como estas.
Não precisa ser psicóloga, psiquiatra, ou qualquer profissional que trabalha com sanidade mental para fazer a leitura corporal desta "criatura"... mas não é maluca... sim porque não come merda e nem rasga dinheiro!!!
Fiquei em silêncio alguns dias, ruminando toda essa situação, tendando não me manifestar, mas não deu...
Criança... criança para mim é sagrada ... e é!!!
É demais para minha cabeça!!!
Esperar que qualquer coisa seja feita em relação a essa criança, que ela seja merecedora de uma familia, de alguém equilibrada para lhe dar um lar, que aprenda a lhe amar e consequentemente a lhe oferecer todas as coisas necessárias para minimizar esse trauma, essa passagem terrível de sua existência...
Falar de "carma" com a conotação que se dá vulgarmente não me dá alento e nem justifica, pelo menos enquanto a imagem desagradável dessa criatura estiver sendo veículada em todos os telejornais!!!
Os resgates cármicos existem, claro... mas as ações no presente são escolhas que fazemos instante a instante de maneira consciente... pensar neste episódio como resgate cármico de ambas pode até parecer um conformismo que transcende o nosso presente, o momento exato em que nos deparamos com o cumprimento dele, mas é a treva que traduz uma sociedade desamparada, a denotação de que não se está procurando evoluir, identificar toda covardia, do adulto contra a criança... pensar sobre isso dá taquicardia, imaginar qualquer coisa contra quem não pode se defender para mim é enlouquecidamente impossível.
Adoraria estar manifestando aqui qualquer coisa que fosse diferente disso, mas sinceramente não tenho conseguido voltar para o meu centro quando penso sobre o assunto e quando vem a imagem da criatura... lamento!!!
LAMENTO mais ainda em saber que isso acontece a todo instante dentro das casas, dos barracos, dos berçários, das ruas... seja qual for o "status" ou nome do agressor, sim porque existem pais biológicos que fazem exatamente a mesma coisa.
Pessoas que se candidatam a ser pais e não têm a menor condição psicológica de ser. Que não têm paciência, que não podem cuidar de si mesmas e engravidam e colocam no mundo seres para serem mal tratados, vilipendiados... ODEIO!!!
Não posso negar esse sentimento momentâneo, não posso ficar sem dizer que precisamos fazer tudo... isso mesmo, não pode ser qualquer coisa, precisamos fazer tudo que pudermos para modificar esse quadro social deprimente, vergonhoso contra as crianças.
Não é a pobreza simplesmente, é a falta de consciência, a falta de estrutura física, energética, emocional, mental, espiritual.
Denunciar apenas não, assumir mesmo, gritar, arrancar das mãos dos safados que pensam que criança é propriedade e que pessoas que têm filhos podem fazer com eles o que quiserem.
Esse bunda-lê-lê não tem cabimento!!!
Estou péssima, muito indignada ... vai passar, claro.
Sei que existem lindas pessoas conscienciosas adotando crianças necessitadas de tudo, sei que existem pais lindos e cuidadosos e isso me dá alento.
Mas não podia deixar de desabafar.
UFA!!!

Livia Leão



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PARA VIVER UM GRANDE AMOR...

Estou aqui pra dizer a você que aqui estou... Estou aqui pra dar continuidade ao nosso crescimento juntos... que fazem intervalos pequenos diante da eternidade... É quando sorrio de verdade é quando me acomodo com segurança e me aconchego sem medo. Conheço um pouco dos seus limites, a profundidade das suas lindas qualidades, generosidade, parceria e delicadeza que admiro e preciso em um relacionamento. Assim como antes, em tempos que conseguimos separar, Onde se pode conjugar passado, presente e futuro Onde se pode prever que há o que "rolar" ... Sabemos de amizades, sabemos de conforto e de confiança. A vontade, ficamos sem nenhum desconforto que maculam os encontros e a nossa vontade é superior aos riscos que corremos sem nenhum temor (???) ... Tudo que poderia causar desconforto e separação será retirado e excluído elegantemente porque merecemos...
E tão grande amor que pode ser do outro
mas que é meu...
Não apenas meu, mas inventado por mim
nascido de mim,
em mim...
E q…

Sobre todas as coisas e nenhuma delas em especial!!! ...

Falando assim como quem tem uma certeza absoluta o mundo é muito rico em tudo que a gente pode imaginar. Podemos dele desfrutar como quisermos.  Se temos um mínimo de sabedoria, se conseguimos saber o mínimo de nós mesmos nos sairemos bem diante da vida que vamos escolhendo momento a momento. Tenho medos como qualquer criatura humana que habita o planeta, mas ao longo dos meus dias traduzidos em 59anos fui ganhando um certo jeito de pensa-la; de driblar as minhas fragilidades, de encontrar forças em mim mesma, de não apenas saber quem eu sou agora, mas também de quem quero ir me tornando enquanto passeio por aqui. Lido simplesmente muito mal com a morte, não a minha, mas a das pessoas... e isso se estende não apenas às que penso conhecer, mas a todas as pessoas que sei que morreram, que os seus corpos estão sendo enterrados ou cremados, que enquanto isso acontece no plano físico/material, outras muitas pessoas especulam, inferem,  sobre a vida após o fim ... o encerramento da vida co…

DO QUE PRECISAMOS???

Precisamos de música, ...  precisamos de água, de alegria, de combustíveis e recursos disponíveis, fáceis e práticos. De respeitar as necessidades básicas de viver, de caminhar em ressonância com o que queremos e acreditamos. De nos alinharmos com o que nos acrescenta... Deixar que as pessoas cuidem de si mesmas,  de solidarizarmo-nos com aquilo que podemos de alguma maneira colaborar. E em nossa vida pessoal e intima, ter à mão apenas o que nos favorece e beneficia... os excessos cansam, frustram, destroem qualquer possibilidade de alegria e felicidade. Porque nos exigem tempo demais, trabalho demais, pre-ocupações excessivas. Não nos preenchem, não nos deixam em paz... Tudo que nos desconforta é desnecessário. Precisamos de silêncio e cuidados... de atenção, delicadezas, gentilezas e carinhos... patrocinarmo-nos sentimentos e sensações que nos adormeçam com tranquilidade ainda que não saibamos se amanhã será mesmo outro dia... e será!!! Será um novo dia... traduzido em zilhões de o…